CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)
Endereço RUA CAFELÂNDIA, 434 Bairro: LA SALLE RONDONÓPOLIS - CEP 78.710-050 - MT

A Assembleia Legislativa do Mato Grosso criou um aplicativo inovador para ajudar os cidadãos MT

Prefeitura de Cuiabá - Mutirão da Conciliação Fiscal

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

"Escândalo de ovos tóxicos se alastra"

Ovos em processamento na Holanda, um dos países afetados pelo escândaloProduto contaminado com inseticida fipronil já é encontrado em 16 países europeus e também na Ásia. Escalada da crise leva União Europeia a convocar cúpula extraordinária. O escândalo de contaminação de ovos que abala a Europa agora já envolve 16 países no continente e chegou até a Ásia, anunciou a Comissão Europeia nesta sexta-feira (11/08). Os ovos contaminados com fipronil, um inseticida tóxico, foram encontrados em Hong Kong, na Suíça e em 15 países pertencentes ao bloco europeu.
Usada para combater pulgas, piolhos e carrapatos de animais, a substância é banida da indústria alimentícia da União Europeia.
Granjas foram fechadas em Bélgica, Holanda, Alemanha e França – países em que ovos contaminados com filpronil foram produzidos. Os outros países – Suécia, Reino Unido, Áustria, Irlanda, Itália Luxemburgo, Polônia, Romênia, Eslováquia, Eslovênia e Dinamarca – receberam os ovos por meio de importações.
Hong Kong também recebeu alguns ovos contaminados importados da Holanda, tornando-se o primeiro local na Ásia a ser afetado. A Comissão Europeia não deu mais detalhes.
A escalada da crise a um nível global levou autoridades europeias a propor uma reunião extraordinária em setembro para discutir o tema.
O objetivo seria "tirar as lições relevantes e discutir formas de melhorar a eficácia do sistema da UE para lidar com fraudes alimentares”, disse a porta-voz da Comissão Europeia Mina Andreeva.
A ideia é realizar o encontro apenas em setembro para dar distanciamento do evento e considerar o maior número de fatos possível.
Com a retirada de milhões de ovos e produtos contendo o alimento de supermercados europeus desde que o escândalo veio a público, em 1° de agosto, países envolvidos têm trocado acusações sobre quem seriam os responsáveis.
A Bélgica acusou a Holanda de ter conhecimento das contaminações desde novembro de 2016 e não ter notificado outros países, o que os holandeses negam.
Mas a Bélgica também admitiu que sabia do problema em junho e o manteve em segredo por quase dois meses devido a uma investigação criminal. Investigadores realizaram batidas em diversos locais na quinta-feira e prenderam duas pessoas em uma empresa holandesa.
A Organização Mundial da Saúde afirmou que, quando ingerida em grandes quantidades, a substância pode prejudicar rins, fígado e glândulas tiroides.
No entanto, a maioria dos alemães diz não estar muito preocupada com o tema. De acordo com a pesquisa "Politbarometer”, da emissora alemã ZDF, 61% dos entrevistados não acreditam que sua saúde esteja em perigo.
PJ/afp/ap/dpa/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário