Cuiabá Bom de Bola

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Endereço: Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT, CEP.:78049-901

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)
Endereço RUA CAFELÂNDIA, 434 Bairro: LA SALLE RONDONÓPOLIS - CEP 78.710-050 - MT

A Assembleia Legislativa do Mato Grosso criou um aplicativo inovador para ajudar os cidadãos MT

CENSO AGRO 2017

CENSO AGRO 2017
"Juntos,vamos colher resultados para o Brasil

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

"Produtores rurais dão suporte a Corpo de Bombeiros para conter incêndio na Serra de Ricardo Franco"

Desde a última sexta-feira (25), produtores rurais de Vila Bela da Santíssima Trindade (a 520 km de Cuiabá) se empenham no intuito de ajudar uma equipe do Corpo de Bombeiros a conter o fogo no Parque Estadual da Serra de Ricardo Franco, localizado no perímetro do município. Após uma semana de incêndio, ainda não se sabe ao certo quanto de área já foi consumida pelas chamas. A produtora rural Larissa Milani Zem relata que o local de início do incêndio era de difícil acesso, o que impediu a chegada imediata dos homens do Corpo de Bombeiros. “Por essa razão, os produtores e trabalhadores rurais se uniram e empenham todos os esforços para ajudar no combate aos focos de incêndio”.

Larissa conta que os produtores rurais tiraram as máquinas agrícolas do campo e mandaram buscar na região maquinário de suporte, como caminhão pipa, pá-carregadeira, trator esteira e os disponibilizaram com auxílio também de funcionários.

“Estamos praticamente dia e noite ajudando a conter o fogo, principalmente com a construção de barreiras. De ontem para hoje [quinta-feira (31)], por exemplo, cerca de 50 funcionários das fazendas vizinhas à Serra permaneceram no campo para impedir que o fogo se alastre contra as propriedades rurais", relatou.

Larissa explica que em todos os anos, neste período de seca, os produtores rurais sofrem com as queimadas na região. Isto porque, a vegetação seca fica suscetível a causas naturais e até mesmo a acidentes. Essa não é a primeira vez que os produtores rurais fazem mutirão para ajudar a apagar o fogo na Serra Ricardo Franco.

“É leviano quando falam que os produtores colocam fogo. Nós vivemos dessa terra e precisamos do pasto verde para viver. O fogo nos prejudica e causa pânico principalmente aos pequenos proprietários, pois pode atingir cercas, currais, plantações de subsistência, animais e até as casas”, disse Larissa.

Na Serra de Ricardo Franco existem cerca de 120 famílias que vivem em pequenas, médias e grandes propriedades rurais ao redor e dentro do Parque Estadual. Os moradores fazem parte da Associação dos Produtores da Ricardo Franco (Aprofranco).

Ademir Sebastão Talini lembra que este é o segundo incêndio somente neste mês. A Serra Ricardo Franco possui 158,621 mil hectares, sendo que 39,851 mil ha são de áreas cultivadas. O primeiro incêndio durou oito dias e consumiu mais de sete mil hectares.

“Esta é nossa casa e, por isso, vamos fazer de tudo para não deixar que o foco ganhe proporções catastróficas. Cada família ajuda da forma que pode, principalmente enviando máquinas, caminhões pipas e mão-de-obra para combater o incêndio”, declara Ademir.

Os funcionários das fazendas Rio do Meio, Maringá Três, Santa Maria, Paturi, Bethânia, Fortaleza do Guaporé e Barra Mansa são os que estão auxiliando no controle do incêndio e trabalhando dia e noite para não permitir que as chamas não sejam mais prejudiciais do que já estão sendo.

CORPO DE BOMBEIROS – De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o foco de incêndio começou a cerca de 110 km da cidade de Vila Bela.

“O fogo consome a morraria do vale do rio Pari na zona oeste da Unidade de Conservação e parece ter se iniciado na Serra da Ararinha, na região central da Unidade de Conservação”, diz a nota encaminhada pelo Corpo de Bombeiros.

PARQUE – O Parque Estadual Serra de Ricardo Franco foi criado em 1997, por meio do Decreto nº 1.796, pelo então governador Dante de Oliveira, já falecido.

ZF PRESS

Nenhum comentário:

Postar um comentário