A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.

A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 2.368 - Sala 104 Bosque da Saúde - Cuiabá-MT - 78050-000 comercial@expovarejo.com.br | Fone: (65) 3057-5200

Iguá Saneamento

Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

Vivência com o povo Xavante, 6 a 12 de Julho de 2018

Vivência com o povo Xavante, 6 a 12 de Julho de 2018
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Greenpeace no Brasil

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

"PROJETO DE LEI: Maluf apresenta projeto para coibir furtos de cabos de cobre e outros materiais"

O projeto de lei nº 254/2017 foi apresentado em junho deste ano e propõe a criação de um cadastro de compra, venda ou troca de materiais. O deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) defende a criação de um cadastro de compra, venda ou troca de cabos de cobre, arames, baterias, transformadores, materiais de alumínio, tubos e tampos metálicos e peças metálicas destinadas à reciclagem em Mato Grosso. A proposta foi apresentada por meio do projeto de lei nº 254/2017 e tem o objetivo de acabar com os casos de furto e receptação indébita desse tipo de material.

Segundo a Secretaria de Serviços Urbanos de Cuiabá, somente neste ano já foram furtados mais de 20 mil metros de cabos de cobre, geralmente utilizados em ligações de energia elétrica e telefonia. A sua retirada por bandidos gera transtornos à população, que acaba ficando sem os serviços, e às empresas que precisam arcar com o custo de reinstalação dos materiais.

Caso o projeto de Maluf seja aprovado e sancionado, os ferros-velhos e todos os locais onde se exerça a comercialização desses materiais deverão preencher um cadastro, identificando o vendedor e o comprador.

Os estabelecimentos também deverão emitir notas fiscais de entrada dos produtos e aqueles que não o fizerem poderão ser multados, ter o material apreendido ou até mesmo perder a inscrição no cadastro de contribuinte do ICMS.

“Com o cadastramento dos compradores e vendedores e com a exigência de documentação em todas as negociações envolvendo cabo de cobre, alumínio, baterias e transformadores, as autoridades constituídas terão amplo conhecimento do universo de pessoas que trabalham com este tipo de material e qual a procedência dos produtos adquiridos. Esse conjunto de informações será eficaz como fator de coibição desta prática delituosa e para identificação dos responsáveis”, defende Maluf.

RENATA NEVES
Assessoria da 1ª Secretaria
(65) 3313-6983
www.guilhermemaluf.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário