Cuiabá Bom de Bola

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Endereço: Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT, CEP.:78049-901

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)
Endereço RUA CAFELÂNDIA, 434 Bairro: LA SALLE RONDONÓPOLIS - CEP 78.710-050 - MT

A Assembleia Legislativa do Mato Grosso criou um aplicativo inovador para ajudar os cidadãos MT

CENSO AGRO 2017

CENSO AGRO 2017
"Juntos,vamos colher resultados para o Brasil

domingo, 3 de setembro de 2017

"Coreia do Norte diz ter testado com sucesso 'bomba de hidrogênio'

Agência estatal divulgou foto de Kim Jong-un (segundo a partir da dir.) supervisionando possível bomba de hidrogênio da Coreia do NortePyongyang diz que desenvolveu bomba de hidrogênio que pode ser instalada em míssil balístico intercontinental. Terremoto registrado no nordeste do país deve ter sido provocado por novo teste atômico. A Coreia do Norte desenvolveu uma bomba de hidrogênio que pode ser instalada em um míssil balístico intercontinental (ICBM), afirmaram neste domingo (03/09) os meios de comunicação estatais do regime de Kim Jong-un. A agência KCNA garantiu que o país conseguiu desenvolver com sucesso um explosivo nuclear deste tipo que foi carregado em um dos seus novos projéteis balísticos, em um teste que foi supervisionado pelo próprio líder norte-coreano Kim Jong-un.A KCNA fez o anúncio depois que as agências geológicas registraram um terremoto provocado pelo homem no nordeste do país. O Exército sul-coreano afirma que estava analisando um "presumido" teste nuclear enquanto que o Japão afirma que a Pyongyang realizou um teste nuclear.
O mesmo meio de comunicação distribuiu uma fotografia de Kim ao lado da suposta "bomba H" acompanhado de cientistas nucleares e oficiais do alto escalão do Departamento de Indústria de Armamentos do Partido Central dos Trabalhadores, mas, como é habitual, não deu detalhes do local nem a data do ato.
O líder norte-coreano "manifestou seu grande orgulho por apoiar as forças nucleares" e por comprovar como o regime Juche (a ideologia oficial norte-coreana de autossuficiência) "consegue desenvolver uma arma explosiva termonuclear com os seus próprios esforços e tecnologia", segundo a KCNA.
Os cientistas norte-coreanos "melhoraram o rendimento técnico" do explosivo acima do nível da primeira bomba H testada pelo país asiático, acrescentou a KCNA.
Em janeiro do ano passado, a Coreia do Norte detonou no interior das suas galerias subterrâneas o que assegurou que era uma bomba de hidrogênio, mas a análise posterior indicou que se tratava de um artefato menos potente que uma bomba H.
Além disso, no início de julho deste ano, o hermético regime realizou dois testes com mísseis balísticos intercontinentais, que foram seguidos por testes com projéteis de menor alcance, o último deles na terça-feira, que sobrevoou o território japonês.
Terremoto foi "possivelmente” causado por novo teste
Um terremoto de 5,6 graus de magnitude foi detectado na Coreia do Norte próximo a algumas instalações nucleares do país, o que poderia ter sido causado pelo novo teste nuclear, segundo informaram as autoridades sul-coreanas.
O tremor foi detectado à 12h36 (horário local, 0h36 em Brasília) na província de Hamgyong do Norte, no nordeste do país e fronteiriça com a China, onde fica a base de testes nucleares de Punggye-ri, local dos cinco testes atômicos norte-coreanos até hoje.
O governo de Seul afirmou que poderia se tratar de um novo teste atômico do país vizinho, e anunciou a convocação de uma reunião de emergência do Conselho Nacional de Segurança, em declarações de uma porta-voz publicada pela agência de notícias sul-coreana Yonhap.
O governo japonês, por sua vez, também confirmou a detecção do tremor, que, segundo disse em coletiva de imprensa seu ministro porta-voz, Yoshihide Suga, "possivelmente" foi provocado por uma explosão nuclear.
O Exército sul-coreano elevou seu nível de alerta ao máximo diante da nova provocação do país vizinho, enquanto que Tóquio enviou aviões de reconhecimento das suas forças aéreas para medir possíveis variações nos níveis de radiotividade no ar.
Tóquio, Seul e Washington querem fazer uma conferência por telefone neste domingo para analisar a situação e dar uma resposta conjunta ao novo teste nuclear de Pyongyang, que acontece na mesma semana em que o regime de Kim Jong-un lançou um míssil balístico que caiu no Pacífico.
O aparente sexto teste nuclear norte-coreano acontece algumas horas depois de Pyongyang ter anunciado que desenvolveu uma bomba de hidrogênio que pode ser instalada em um míssil balístico intercontinental (ICBM).
FC/efe/lusa/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário