Cuiabá Bom de Bola

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Endereço: Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT, CEP.:78049-901

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)
Endereço RUA CAFELÂNDIA, 434 Bairro: LA SALLE RONDONÓPOLIS - CEP 78.710-050 - MT

A Assembleia Legislativa do Mato Grosso criou um aplicativo inovador para ajudar os cidadãos MT

CENSO AGRO 2017

CENSO AGRO 2017
"Juntos,vamos colher resultados para o Brasil

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

"Janot denuncia senadores do PMDB"

Denúncia de Janot ocorreu no âmbito das investigações da Operação Lava JatoRomero Jucá, Renan Calheiros, Edison Lobão, Valdir Raupp e Jader Barbalho, além de José Sarney, são acusados de formação de organização criminosa. Eles teriam recebido R$ 864 milhões em propina desviada da Petrobras.O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou nesta sexta-feira (08/09) ao Supremo Tribunal Federal (STF) os senadores do PMDB Edison Lobão (MA), Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Valdir Raupp (RO) e Jader Barbalho (PA), além do ex-senador José Sarney, pelo crime de organização criminosa. A denúncia ocorreu no âmbito das investigações da Operação Lava Jato. O ex-presidente da Transpetro, empresa subsidiária da Petrobras, Sérgio Machado também foi denunciado. De acordo com a denúncia, há indícios de que os senadores mantinham o controle da Diretoria Internacional da Petrobras e da Transpetro, por meio da indicação de diretores, para receber propinas de fornecedores da estatal. Os acusados teriam recebido 864 milhões de reais em propina e gerado um prejuízo de 5,5 bilhões de reais aos cofres da Petrobras e 113 milhões de reais aos da Transpetro. "Os agentes políticos, plenamente conscientes das práticas indevidas que ocorriam na Petrobras, tanto patrocinavam a nomeação e a manutenção dos diretores e dos demais agentes públicos no cargo, quanto não interferiam e nem fiscalizavam o devidamente o cartel e irregularidades subjacentes", destaca a Procuradoria-Geral da República (PGR). A denúncia será avaliada pelo ministro Luiz Edson Fachin, relator dos processos da Lava Jato no STF. A Segunda Turma da Corte decidirá, então, se os acusados serão julgados pelo crime, cuja pena varia de três a oito anos de prisão, além de multa.
Acusados atacam Janot
Ao site de notícias UOL, Barbalho negou as acusações e disse que Janot quer apenas limpar sua imagem com a denúncia. "Ele está saindo da PGR desmoralizado depois da trapalhada da J&F. Ele quer limpar a imagem que saiu muito avacalhada depois de vir à tona que ele negociou com criminosos a imunidade processual", afirmou o senador. Em nota, Jucá também negou as acusações e disse que acredita na seriedade do STF. Ao G1, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, que representa o senador, além de Lobão e Sarney, afirmou estar perplexo com a denúncia, que mostraria apenas que o procurador-geral é contra políticos. Na terça-feira, Janot apresentou denúncia semelhante contra membros do PT, entre eles os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Já o PP, que também faria parte do esquema, foi denunciado pelo procurador-geral na última sexta-feira. A denúncia está sob sigilo. No fim de agosto, Sarney, Renan, Jucá, Raupp e o senador Garibaldi Alves Filho (RN), também do PMDB, já haviam sido denunciados pela PGR pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro dentro do esquema que desviou recursos em contratos da Transpetro entre 2008 e 2012.
CN/abr/ots/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário