CASA DOMINGOS

CASA DOMINGOS
Grandes marcas, com produtos de qualidade Av. Feb 861 Bairro: Manga Cep: 78.110-798 - Varzea Grande

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT, 78049-901 Telefone: (65) 3313-6900

Programa da Gente

Programa da Gente
De segunda a sexta-feira das 10:00 ás 11:00 horas

TCE MT GESTÃO NOTA 10

"NOBRES:Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

"NOBRES:Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

"Projeto prevê internação involuntária e compulsória de dependentes químicos"

A matéria passará pelas comissões permanentes da ALMT antes da votação em Plenário. A Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Amparo à Criança, ao Adolescente e ao Idoso da Assembleia Legislativa vai apreciar, nos próximos dias, o projeto de lei 356/17 que institui a Política Estadual de Internação Involuntária e Compulsória de Dependentes Químicos de Mato Grosso. De autoria do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), objetivo do projeto é dar total assistência para esses dependentes, criando um procedimento permanente de ação, visando retira-los do convívio social para o tratamento especializado. Dentre as diretrizes, determina a realização de ações urgentes que possibilitem a identificação e a elaboração de laudo para subsidiar solicitações judiciais de internação compulsória. Também a qualificação dos serviços públicos estaduais para a prestação de atendimento aos pacientes, que por conta do grau de comprometimento com a droga, perdem a autonomia da vontade. A ideia visa, ainda, realizar estudo técnico e emitir laudo conclusivo, para auxiliar a fundamentação judicial de internação compulsória; equipe técnica totalmente capacitada para esse acompanhamento; articular juntos aos entes públicos e viabilizar a internação involuntária e a compulsória dos dependentes que deixaram de dispor de autonomia da vontade. O presidente alerta o aumento no consumo de drogas em todas classes sociais, inclusive de crack, podendo ser considerado uma epidemia. Destaca a recente manifestação popular, em São Paulo, quando a prefeitura retirou das ruas os dependentes químicos da região da Cracolândia. Ação que dividiu opiniões em âmbito nacional de especialistas da área e autoridades, que cobram o posicionamento enérgico do Estado. “É preciso o enfrentamento permanente para combater esse grave problema social e de saúde pública”, finalizou Botelho.

Por ITIMARA FIGUEIREDO
(Foto: JLSiqueira/ALMT)

Nenhum comentário:

Postar um comentário