CONVERSA AFIADA

Vereador RODRIGO ZAELI do PSDB-MT

Vereador RODRIGO ZAELI do PSDB-MT
Câmara Municipal de Rondonópolis R. Cafelândia, 434 – La Salle, Rondonópolis – MT, 78710-050 (66) 3422.7554 | (66) 99900.5757 atendimento@rodrigodazaeli.com.br

"Todos no combate a Dengue"

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT, 78049-901 Telefone: (65) 3313-6900

TCE MT GESTÃO NOTA 10

domingo, 12 de novembro de 2017

"Fávaro encaminha projeto de lei à AL para modernizar processo licitatório do estado"

Para Fávaro, a medida possibilitará maior objetividade na escolha das propostas mais vantajosas para o estadoAlém de evitar a realização de atos desnecessários e o número significativo de documentos, a medida deverá garantir mais celeridade e economia para os cofres públicos.Modernizar o processo de aquisições e contratações para garantir maior agilidade, transparência e eficiência dos gastos públicos. Com essa finalidade, o governador em exercício, Carlos Fávaro, encaminhou à Assembleia Legislativa o projeto de lei que dispõe sobre as normas para procedimento e julgamento das licitações estaduais. O documento foi encaminhado ao presidente da AL, Eduardo Botelho, na última quinta-feira (09.11). Fávaro explicou que a medida possibilitará maior objetividade na escolha das propostas mais vantajosas para o estado. “É um posicionamento de vanguarda, onde se iniciou na Lei federal n.10.520, de 2002, que introduziu o chamado 'pregão eletrônico', inovando ao inverter as fases do procedimento licitatório, onde apura primeiramente os envelopes das propostas de preços, para depois apreciar a documentação de habilitação das empresas. E isso já vem ocorrendo em outros estados, como São Paulo, Bahia, Paraná e Sergipe”, informou. Segundo ele, a finalidade do projeto de lei é regular e instituir normas específicas de licitação constantes na legislação federal, no âmbito estadual, sobre a possibilidade de inversão de fases quanto ao julgamento do procedimento das modalidades já previstas em lei, com o intuito de proporcionar celeridade e, consequentemente, economia para a administração pública. “O procedimento não prejudica o direito dos licitantes, pelo contrário, pois, além de evitar a realização de atos inúteis e o número significativo de documentos, proporciona mais celeridade na tramitação do certame. Além disso, tendo em vista o atual cenário econômico, esse método trará maior economia aos cofres públicos, tanto em tempo, quanto ao aspecto financeiro, porque licitação concluída rapidamente, em uma economia submetida à variação de preços, significa melhor compra para o poder público”, garantiu o governador em exercício.
Andreia Sversut | Vice-governadoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário