CONVERSA AFIADA

Vereador RODRIGO ZAELI do PSDB-MT

Vereador RODRIGO ZAELI do PSDB-MT
Câmara Municipal de Rondonópolis R. Cafelândia, 434 – La Salle, Rondonópolis – MT, 78710-050 (66) 3422.7554 | (66) 99900.5757 atendimento@rodrigodazaeli.com.br

"Todos no combate a Dengue"

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT, 78049-901 Telefone: (65) 3313-6900

TCE MT GESTÃO NOTA 10

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

"Deputados aprovam em sessão extraordinária projeto de alterações no Proalmat"

O Proalmat é uma das principais leis setoriais de incentivo ao desenvolvimento econômico de MT. Em sessão extraordinária no final da manhã desta quarta-feira (16), os deputados estaduais de Mato Grosso votaram, em redação final, o Projeto de Lei 342/2017, de autoria das lideranças partidárias, que dispõe sobre alterações no Programa de Incentivo ao Algodão de Mato Grosso (Proalmat). Os deputados argumentam que o PL aprovado visa corrigir equívocos técnicos e operacionais identificados posteriormente à edição das leis nº 10.489 e 10.564, que levaram a uma situação de inexequibilidade no processo de obtenção do certificado de Proalmat, concedido pelo Conselho de Desenvolvimento Agrícola e Empresarial (CDAE/MT).

O Proalmat é uma das principais leis setoriais de incentivo ao desenvolvimento econômico do estado. O programa foi criado no final da década de 90, no governo Dante de Oliveira, para estimular e ampliar a produção da fibra em Mato Grosso. De lá pra cá, o estado alcançou status mundial no algodão, saltando de 2% para 65% e tornando-se líder brasileiro na produção.

A lei aprovada altera o inciso II, do artigo 3º da Lei 6.883, de junho de 1997, acrescentado pela Lei 10.489, de dezembro de 2016, que passa a vigorar com a seguinte redação: “ao produtor devidamente cadastrado no Proalmat, por ocasião da comercialização de algodão em pluma nas saídas interestaduais tributadas, bem como nas saídas internas, estas apenas com destino a cooperativa cadastrada no Proalmat de que o produtor faça parte, será concedido crédito presumido equivalente a 75% do valor do ICMS destacado na nota fiscal”.

Também altera o artigo 1º da Lei nº 10.564, de 13 de julho de 2017, que passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. 7º A partir de 1º de novembro de 2017, ficam revogadas as disposições contidas na legislação estadual que tratam da concessão de redução de base de cálculo e/ou créditos fiscais, outorgados ou presumidos, no âmbito do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação -ICMS, pertinentes a operações com algodão, não previstos na Lei nº 6.883, de junho de 1997”.

Mato Grosso possui atualmente 600 mil hectares plantados de algodão. A fibra é o segundo item na pauta de exportações do estado e registrou até outubro deste ano US$ 625 milhões em vendas. Entre os principais compradores do algodão mato-grossense estão a China, Indonésia, Coréia do Sul, Tailândia e Paquistão. Os principais municípios produtores no estado são Campo Novo dos Parecis, Campo Verde, Sorriso, Primavera do Leste e Sapezal.

Por FLÁVIO GARCIA/Secretaria de Comunicação
Sessão Plenária Extraordinária (Foto: Marcos Lopes/ALMT)

Nenhum comentário:

Postar um comentário