Cuiabá Humanizada

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)
Endereço RUA CAFELÂNDIA, 434 Bairro: LA SALLE RONDONÓPOLIS - CEP 78.710-050 - MT

Campanha Nacional de Doação de Órgãos

Campanha Nacional de Doação de Órgãos
SES realiza campanha "Setembro Verde" para captar doadores de órgãos

A Assembleia Legislativa do Mato Grosso criou um aplicativo inovador para ajudar os cidadãos MT

Prefeitura de Cuiabá - Mutirão da Conciliação Fiscal

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

"Alunos ganhadores da Medalha Paulo Freire destacam estudos sobre história de Cuiabá"

A Medalha Paulo Freire, prêmio disputado por mais de 50 cidades de todo o país, cedeu a Cuiabá, por meio de sua Secretaria Municipal de Educação (SME), a terceira colocação no ranking nacional. A premiação é do Ministério da Educação. O município entrou na competição com oito unidades escolares que ofertam Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os trabalhos que tinham sido realizados em meados de maio se destacaram por valorizar a Cuiabá dos 300 anos, com sua cultura, costumes e traços histórico-sociais.
Adjair Rodrigues e Ivone dos santos, alunos da EJA na Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Jesus Criança, no bairro Nova Esperança contam que a experiência foi muito valiosa, pois levaram tudo que aprenderam para o dia a dia. “Eu sou cuiabano, e sempre passava por aí em frente aos lugares que a gente estudou, sem nunca ter parado pra estudar a história. O trabalho feito na escola me despertou muito interesse em estudar mais”, afirmou Adjair. Já Ivone explica que a sala de aula a inspirou até a escrever um livro. “Estudando, pude ver que tudo que a gente estuda, ninguém mais tira da gente. E dá até mais vontade de estudar. Tanto é que eu fui escrevendo um livro, sobre Cuiabá. Está lá guardado para assim que puder publicar”, contou. E escola é uma referência na rede, pelos trabalhos que realiza com os alunos da EJA na rede municipal de educação. A coordenadora da unidade, Esther Maria, reforça que a premiação se deve ao trabalho sério contínuo. “É um trabalho que já está sendo feito em sala de aula, desde o início do ano letivo. Trabalhamos focados na valorização da história local, para fazer com que nossos estudantes não sejam apenas seres ‘letrados’ mas sim, que tenham ampla compreensão do mundo que os cerca. E graças a Deus este trabalho está surtindo efeito na vida social deles [estudantes]. A premiação é o maior resultado deste trabalho assíduo.” afirmou a coordenadora.
LINA OBAID

Nenhum comentário:

Postar um comentário