Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA
BOLSONARO NÃO!

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, nº 158 - Centro - CEP: 78005-906

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

"Mais da metade dos brasileiros apoia pena de morte, diz pesquisa"

Symbolbild Todesstrafe Giftspritze (BilderBox)Percentual de 57% é o maior desde que a pergunta passou a ser feita pelo instituto Datafolha, em 1991, e empata tecnicamente com os resultados de 1993 e 2007.O número de brasileiros que apoia o aplicação da pena de morte no país cresceu de 47% para 57% em dez anos, segundo sondagem divulgada nesta segunda-feira (08/01) pelo Instituto Datafolha. O apoio da população brasileira à pena de morte é o mais alto desde 1991, quando o Datafolha incluiu o tema nas suas pesquisas.
No atual levantamento, 57% das pessoas entrevistadas manifestaram-se a favor desse tipo de punição, 39% disseram ser contra e 3% não responderam. Nos levantamentos de 1993 e 2007, 55% dos consultados disseram ser favoráveis à aplicação. Se for considerada a margem de erro de dois pontos percentuais, é o mesmo resultado de 2018. A pesquisa revelou que o apoio à pena de morte é maior entre a população mais pobre e entre os homens. Jovens entre 25 e 34 anos são os que mais apoiam a medida (64%), uma percentagem reduzida para 52% entre aqueles que têm mais de 60 anos. Os católicos são mais favoráveis à medida (63%) do que os evangélicos (50%), enquanto o apoio dos ateus é de 46%. A legislação brasileira não contempla a pena de morte, salvo se o país estiver em guerra declarada. A última execução ocorreu em 1861 na então vila de Santa Luzia, atual Luziânia, perto do Distrito Federal. Para a sondagem, o Datafolha entrevistou 2.765 brasileiros em 192 municípios, entre os 29 e 30 de novembro do ano passado.
AS/lusa/ots/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário