A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.

A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 2.368 - Sala 104 Bosque da Saúde - Cuiabá-MT - 78050-000 comercial@expovarejo.com.br | Fone: (65) 3057-5200

Iguá Saneamento

Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

Vivência com o povo Xavante, 6 a 12 de Julho de 2018

Vivência com o povo Xavante, 6 a 12 de Julho de 2018
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Greenpeace no Brasil

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

sexta-feira, 6 de julho de 2018

"Jornalista turco detido há dois anos por suposto envolvimento com golpe é libertado"

O jornalista turco Mehmet Altan foi solto na qarta-feira (27) depois de dois anos de detenção por envolvimento com o golpe de Estado frustado, em 2016, segundo a ONG P24, que trabalha pela liberdade de imprensa. Altan tinha sido condenado a prisão perpétua. As informações são do Jornal do Brasil on-line. Altan havia sido condenado a prisão perpétua junto com seu irmão Ahmet, escritor, e outra jornalista de renome, Nazli Ilicak, ao fim de um julgamento muito criticado na Turquia e no exterior. O jornalista foi solto em liberdade condicional por um tribunal regional de Istambul. A sentença e sua condenação à prisão perpétua, no entanto, não foram anuladas. Por esse motivo, o jornalista está proibido de deixar o território turco e deve se apresentar regularmente às autoridades.
Ahmet e Nazli, no entanto, serão mantidos presos. O tribunal também determinou o adiamento da continuação do julgamento em apelação até 21 de setembro.
"Estou livre após 21 meses, mas sequer deveria ter sido preso. Que a minha libertação traga esperança à via do direito e da democracia", disse ao ser recebido por amigos e colegas.
O Tribunal Constitucional havia considerado em janeiro que o jornalista deveria ser libertado pois, em sua visão, seus direitos foram violados. No entanto, um tribunal turco se negou a fazê-lo. O Tribunal Europeu de Direitos Humanos também considerou em março que haviam violado os direitos de Altan.
Entenda o caso
Os três são acusados de ter vínculos com o grupo do clérigo Fethullah Gulen, que vive nos Estados Unidos e a quem Ancara culpa do golpe frustrado, o que ele desmente.
As condenações aos jornalistas se baseiam em uma aparição na televisão um dia antes da tentativa de golpe de Estado na qual supostamente enviaram "mensagens subliminares" pedindo a derrubada do governo de Recep Tayyip Erdogan.
Huseyin Aldemir/Reuters/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário