Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA
BOLSONARO NÃO!

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, nº 158 - Centro - CEP: 78005-906

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

quinta-feira, 19 de julho de 2018

"MENTIRAS I: Mauro Mendes desmente notícia publicada no Jornal A Gazeta"

Resultado de imagem para Mauro Mendes (DEM)Pré-candidato afirma que não negociou secretarias com nenhum partido. O ex-prefeito de Cuiabá e pré-candidato ao Governo do Estado, Mauro Mendes (DEM), classificou como “mentirosa” a notícia publicada nesta quinta-feira (19) pelo jornal A Gazeta. A reportagem afirmou que Mauro teria negociado secretarias com o MDB para ter apoio da sigla na campanha, assim como concordado em fazer indicações do partido a vagas no Tribunal de Contas (TCE-MT) e para a vaga de desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), na quota da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT).
“A notícia publicada pelo jornal A Gazeta é mentirosa. Diz a editora do jornal, Margareth Botelho, que se baseou em uma fonte. É preciso deixar claro: essa fonte é desonesta, mentirosa ou não existe”, criticou.
De acordo com o pré-candidato, “chega a ser hilária” a informação de um acordo para sugerir o advogado e presidente do Diretório Municipal do MDB, Francisco Faiad, ao cargo de desembargador do TJ-MT.
“Nos entendimentos que promovi com o MDB, em nenhum momento foram tratados de assuntos referentes a indicações para do Tribunal de Contas ou até mesmo de sugestões para a OAB sobre futuros indicados para o Tribunal de Justiça. Chega a ser hilária a matéria publicada pelo jornal A Gazeta quando diz que eu concordei em sugerir Francisco Faiad à Ordem dos Advogados do Brasil. Essa é uma afronta à verdade, ao modo como sempre fiz política e um desrespeito a uma instituição seria como a Ordem dos Advogados do Brasil”.
Mauro Mendes ressaltou que as conversas mantidas com o MDB não envolveram a concessão do comando de secretarias de Estado em troca de apoio político na campanha.
“Quero dizer ao povo de Mato Grosso que também não houve qualquer entendimento para que o MDB ou qualquer partido que possa apoiar a nossa pré-candidatura possa indicar quatro secretarias na hipótese de eu ser eleito governador de Mato Grosso”.
“Não vamos negociar nenhuma secretaria nem com o MDB nem com qualquer partido. Mas se tivermos a honra de sermos eleitos ao Governo de Mato Grosso, quem ajudou a eleger também ajudará a governa, desde que tenha competência técnica para o cargo" ressaltou.
Conforme Mauro Mendes, o jornal não procurou ele e nem nenhuma das lideranças políticas citadas para checar a veracidade das informações, desrespeitando os critérios jornalísticos que pautam os veículos de comunicação.
“É preciso chamar a atenção dos leitores para que eles percebam que na matéria do jornal A Gazeta sequer foi ouvido o outro lado. A diretora de redação Margareth Botelho, embora tenha citado o meu nome, do Carlos Fávaro, do Otaviano Pivetta e do Jaime Campos, não encontrou tempo para ligar para qualquer dos citados, mesmo a redação do jornal tendo o telefone de todos”, desmentiu.
O pré-candidato do DEM ainda adiantou que tem pautado sua pré-campanha com a verdade dos fatos e que não vai se calar perante informações inverídicas.
“Não permitiremos que a verdade fique sepultada. O nosso compromisso com a pré-candidatura é conseguirmos estabelecer uma relação verdadeira com a população de Mato Grosso. E é por amor à verdade que não podemos nos calar diante de tantas mentiras. Fui prefeito de Cuiabá e nos quatro anos tive apoio de vereadores eleitos pelo MDB e nossa administração não teve nenhum secretário preso ou qualquer escândalo de corrupção" finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário