Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA
BOLSONARO NÃO!

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, nº 158 - Centro - CEP: 78005-906

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

"POLÍTICA: Gilberto Figueiredo critica postura do executivo municipal em greve da Educação "

O vereador Gilberto Figueiredo (PSB) criticou a postura da Prefeitura de Cuiabá em relação à paralisação da Educação. De acordo com o parlamentar e presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, o prefeito não está disposto a receber pessoalmente as demandas dos grevistas. “O prefeito de Cuiabá precisa receber os servidores em greve, mas sabe-se que ele inclusive se recusou em recebê-los. Esperamos que haja uma rápida convergência para que seja possível um entendimento entre as partes.
A paralisação não pode continuar prejudicando a quase 50 mil alunos”, disse o vereador e ex-secretário de Educação da Capital.
Além de criticar a recente proposta de segregação elaborada pela Prefeitura – que sugeriu o reajuste salarial em 4% apenas para os profissionais efetivos da Educação –, Gilberto opinou sobre uma possível limitação fiscal por parte do Executivo municipal.
“Já fui secretário de Educação de Cuiabá e sei que as contingências financeiras muitas vezes impedem que o gestor possa conceder todos os benefícios pleiteados por uma categoria. Mas reforço que o melhor caminho é sempre uma boa negociação; levando em consideração principalmente os interesses daqueles que dependem das aulas”, concluiu.
Figueiredo ainda declarou que, se a Prefeitura melhorar minimamente a atual proposta, é muito provável que os profissionais da Educação tenham sensibilidade para aceitar as condições e sanar a paralisação.
ZF PRESS

Nenhum comentário:

Postar um comentário