Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

ANUNCIE AQUI!

ANUNCIE AQUI!
SUA EMPRESA COM MAIS VISIBILIDADE E VENDA

Conecte na ALMT

AJUDE ESTA CAUSA

AJUDE ESTA CAUSA
SANTA CASA DE CUIABÁ | (65) 3051-1946

Prefeitura Municipal de Rondonópolis

Prefeitura Municipal de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411-3500

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

"Paulo Guedes avaliará mudanças na Lei Kandir a pedido de Wellington"

Wellington Fagundes também se manifestou favorável a projeto de reforma tributária que traga a redução do número de impostos cobrados no Brasil. O futuro ministro da Economia do Governo Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, afirmou que sua equipe de trabalho irá avaliar as mudanças na Lei Kandir, que trata das desonerações de produtos primários e semielaborados destinados à exportação. Da mesma forma, da possibilidade de melhoria da compensação aos Estados e municípios, preconizada pela lei.
O questionamento foi apresentado ao futuro ministro na noite de quarta-feira, 21, pelo senador Wellington Fagundes (PR-MT), durante reunião com parlamentares da Comissão Mista de Orçamento.
Fagundes foi o relator da Comissão Especial Mista do Congresso Nacional criada para regulamentar dispositivos constitucionais que tratam das transferências referentes as desonerações de impostos. A proposta aprovada – e que se encontra aguardando votação na Câmara e depois pelo Senado – determina o repasse anual de R$ 39 bilhões como forma de repor as perdas com a isenção de ICMS concedida pela lei.
Wellington ponderou ao futuro ministro da Economia a necessidade de se encontrar uma solução para a questão. Ele fez um relato sobre as dificuldades enfrentadas por estados e municípios brasileiros pelo ‘esforço de exportação’. Mato Grosso, segundo ele, é um dos estados que mais exporta produtos nessas condições – em função de sua vocação econômica – e recebe muito aquém como compensação: pouco mais de R$ 400 milhões por ano, através do Auxílio Financeiro de Fomento as Exportações, o FEX.
“O ministro prometeu fazer um estudo sobre esse tema, especialmente diante da situação dos Estados e municípios. A preocupação maior do Governo é com a estabilização fiscal. Ele chegou a mencionar até a possibilidade de adotar o imposto único” – disse o senador.
A equipe do futuro ministro da Economia estuda, a substituição dos tributos federais (IPI, IOF, PIS e Cofins) por um único imposto – o Imposto Unificado Federal (IUF). O novo imposto incidiria sobre todas as transações financeiras, em linha com o projeto lançado pelo economista e ex-deputado federal Marcos Cintra, em 1990, e manteria a partilha da arrecadação entre os entes da Federação de acordo com as regras atuais.
Fagundes disse que pretende, aliás, conhecer melhor a proposta da equipe de Paulo Guedes. Ele destacou que sempre defendeu a necessidade de uma reforma tributária que pudesse eliminar a grande quantidade de impostos. “Ele lembrou que foi um dos apoiava incondicionalmente a proposta do então deputado Marcos Cintra, que previa a implantação do imposto único. “Viajamos Brasil afora para defender a votação do imposto único no Brasil” – lembrou.
Além desse termo, a reunião, presidida pelo deputado Mário Negromonte Jr, presidente da CMO, serviu para que a comissão apresentasse ao futuro ministro o cronograma de tramitação do projeto do novo Orçamento. Guedes foi informado que tem até a data de votação do último dos 16 relatórios setoriais, que cai na
próxima quarta-feira (28), para propor alterações no projeto. O prazo foi definido pelo relatório preliminar aprovado na terça-feira. Fagundes é relator setorial dos orçamentos de Defesa e de Justiça.
Foto: Augusto César/Gabinete

Nenhum comentário:

Postar um comentário