SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"
"Juntos Somos Mais Fortes

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

"PREVENÇÃO: Mortes durante ou após corridas de rua acendem o alerta para a importância do check-up"

Cardiologista afirma quem tem uma vida ativa no esporte deve ter em mente o check-up como um ato de sensatez.O crescimento do número de corredores amadores e profissionais revela que tem aumentado a preocupação da população com a saúde e o bem-estar. No entanto, muito mais importante é que antes de iniciar este tipo de prática o desportista se submeta a uma avaliação médica a fim de evitar eventuais problemas que podem ir de um mal estar à morte súbita. Em Cuiabá (MT), uma advogada morreu em 2015 na linha de chegada de uma corrida de rua e agora em 2020 um ex-agente penitenciário passou mal
durante uma tradicional corrida de rua e morreu ao terminar o percurso.
“Quem tem uma vida ativa no esporte deve ter em mente o check-up como um ato de sensatez”. O alerta é do cardiologista Max Wagner Lima que atua em Mato Grosso e é conselheiro do Conselho Federal de Medicina (CFM).
“Mesmo que a academia ou centro de treinamento não exijam a atestado médico, realizar exames para verificar a saúde do coração é uma precaução, já que o check-up indica se o órgão tem condições para realizar esforços”, pontua o especialista.
Dr. Maxi Lima explica que quando treinamos, as células musculares do coração necessitam de uma maior quantidade de sangue e oxigênio, o que causa o aumento da frequência cardíaca. Antes de submeter o coração a esses esforços regulares causados pela corrida, é melhor ter certeza de que o órgão será beneficiado pelo exercício, e não prejudicado.
“Os indivíduos que apresentem histórico familiar, como infarto do miocárdio ou acidente vascular encefálico (derrame), devem ter o cuidado redobrado e fazer um check-up cardiológico pelo menos uma vez ao ano”, orienta.
Para os demais, a indicação correta de qual exame realizar e a frequência adequada variam conforme cada caso, cabendo ao médico cardiologista, que acompanha o paciente, estabelecer a rotina e devida prescrição.
Pessoas que exercem atividade laboral (trabalho) que ofereçam riscos a outros, como pilotos de avião e motorista de ônibus, também devem se submeter a esses exames com regularidade, de acordo com o médico.
O especialista observa ainda que pessoas que sofrem desmaios, desconforto e dores no peito ao praticar atividade física ou em repouso, que sentem palpitações, que queiram iniciar atividade física e sair do sedentarismo, além dos atletas profissionais, devem sempre contar com o acompanhamento do cardiologista, pois, vale lembrar que a avaliação rotineira é fundamental para prevenção de doenças cardiovasculares.
Sandra Carvalho/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos