SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf
Rua Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, - Ed. Marechal Rondon - Centro Político Administrativo - Cuiabá-MT

Loja Oficial - Casa Prado

Loja Oficial - Casa Prado
Camisetas, Polos, Calças, Bermudas, Sapatos e Acessórios de Qualidade na Casa Prado!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

"Barbudo lembra promessa de Mauro e cobra corte de impostos dos combustíveis"

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) cobrou do governador Mauro Mendes (DEM) a disposição em dialogar com o Governo Federal com vistas a reduzir a carga tributária dos combustíveis. Em postagem nas redes sociais, o parlamentar lembrou que uma das propostas de campanha da chapa de Mendes, que tem como vice-governador Otaviano Pivetta (PDT), era justamente o corte do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no preço do óleo diesel. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que se os governadores zerarem o ICMS dos combustíveis, ele determinaria o corte também dos tributos federais, proposta que foi rechaçada por Mendes, mesmo tendo sido compromisso de campanha. “Governador, o senhor disse que seria como Mato Grosso cortar a perna e a União cortar o dedinho. Agora, quando o senhor renovou o Fethab 2, não se importou em quebrar as pernas e os braços dos produtores”, ressaltou o parlamentar.
Logo no início da sua gestão, Mendes renovou a cobrança do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), prolongando a cobrança junto aos produtores rurais, outro fato lembrado por Barbudo. “Espero que o senhor se junte aos governadores, de Rondônia, Goiás, Acre e Piauí, que se propuseram a conversar sobre o assunto. Espero que o senhor demonstre e aja no sentido de querer o bem da população mato-grossense”.
Para o deputado, o governador precisa rever sua postura, uma vez que quase a metade do preço do litro da gasolina, do etanol e do óleo diesel é composto por estes impostos. “Ninguém aguenta esse preço do óleo diesel. Se continuar assim, a agricultura fica inviável. O senhor propôs na sua campanha essa diminuição e agora se nega a conversar. Não é isso que esperamos do senhor”.
Assessoria/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos