SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf
Rua Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, - Ed. Marechal Rondon - Centro Político Administrativo - Cuiabá-MT

Loja Oficial - Casa Prado

Loja Oficial - Casa Prado
Camisetas, Polos, Calças, Bermudas, Sapatos e Acessórios de Qualidade na Casa Prado!

segunda-feira, 9 de março de 2020

"Audiência Pública debate “as questões da mulher na sociedade atual”

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso realizou nesta segunda-feira (9), audiência pública para debater “As questões da mulher na sociedade atual”. O debate foi requerido pelo deputado estadual Valdir Barranco (PT) e fez alusão ao Dia Internacional da Mulher. Entre as convidadas, a atual secretaria adjunta de Gestão Ambiental do Estado de Mato Grosso, Luciane Bertinatto Copetti. Luciane já foi vereadora e secretária de meio ambiente de Lucas do Rio Verde. Ela chamou atenção para a necessidade de se “incentivar outras mulheres a participarem da vida pública, da política e de todos os setores da sociedade.”

Cleusa Dias Leite, diretora presidente do MT Mama, falou sobre a importância do atendimento à mulher que tem câncer. Segundo ela, vários tratamentos foram interrompidos no Hospital de Câncer trazendo prejuízos às pacientes.
“Quem sofre com a doença sabe das dificuldades de se encontrar tratamento adequado e gratuito. Portanto, precisamos os engajar nesta causa que é de todas e todos nós para que o governo reveja esta condição e tome providências para que os tratamentos contra os diversos tipo de câncer sejam disponibilizado de forma ininterruptas em Mato Grosso.”
A secretária adjunta do Sintep-MT (Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público), Sidinei de Oliveira Cardoso, fez uma alerta: “Do ponto de vista econômico, a desigualdade entre homens e mulheres é gigantesca. Uma pesquisa feita na África mostra que o montante dos bens dos 22 homens mais ricos do mundo é maior do que o de todas as mulheres juntas do continente africano.” “Portanto, temos que rever esta disparidade e darmos as mulheres igualdade de condições em todos os campos”, disse.
A psicóloga Karine representou o Fórum de Pessoas em Situação de Rua.
“Na rua, o desrespeito ao corpo e à liberdade da mulher são muito mais acentuados e graves. Na Capital não temos albergues femininos nem atendimento para estas pessoas. Quando falamos do dia 8 de Março, precisamos falar destas mulheres que tem seu corpo violado todos os dias e sua dignidade esquecida. Precisamos dar voz e respeito à todas elas também. Precisamos de políticas públicas que tragam dignidade a estas mulheres”.
Representando o Fórum de Mulheres Negras de Mato Grosso, a assistente social e coordenadora do movimento, Elis Regina, chamou atenção para o aumento no número de homicídio de mulheres negras.
“Somos a maioria e isso não significa que consigamos acessar as políticas públicas que todos os seres humanos necessitam. Não temo acesso à segurança pública; estamos na ponta do feminicídio. Não temos sequer delegacias especializadas em numero suficiente para nos atender. Isso tudo precisa mudar!”
A deputada federal Professora Rosa Neide falou sobre o machismo que ainda impera no país e da necessidade de respeito e igualdade para as mulheres em todos os setores.
“O Brasil é um pais machista por excelência e ainda precisamos trabalhar muito para nos colocarmos em igualdade de condições. Trabalhamos fora, em casa e ainda temos que cuidar da família. Somos a minoria no poder público e nos cargos de comando no mercado de trabalho. Na Câmara dos Deputados, por exemplo, somos 77 deputadas contra 436 deputados. Mato Grosso lidera o ranking da violência contra a mulher. Isso não pode ficar assim.”
“Precisamos combater o machismo e ocuparmos cada vez mais lugares em igualdade. Temos de dizer as nossas filhas todos os dias da importância que elas têm na sociedade e da força de cada uma para que esta mudança ocorra o quanto antes. Homens que tem respeito pelo humano não querem ver mulheres maltratadas”, concluiu Rosa Neide.
O deputado estadual Dr. Gimenez (PV) também, participou da audiência pública.
“Parabenizo a todas a mulheres e coloco nosso mandato à disposição de todas”, disse o parlamentar.
“Agradeço a todas as mulheres que vieram e participaram desta audiência pública. Estejam certas de que todas as discussões de hoje irão gerar encaminhamentos para as ações do nosso mandato que é popular e participativo. Continuarei trabalhando por políticas públicas de valorização da mulher mato-grossense. Contem sempre comigo”, disse o deputado Valdir Barranco.
Robson Fraga/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos