SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf
Rua Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, - Ed. Marechal Rondon - Centro Político Administrativo - Cuiabá-MT

Loja Oficial - Casa Prado

Loja Oficial - Casa Prado
Camisetas, Polos, Calças, Bermudas, Sapatos e Acessórios de Qualidade na Casa Prado!

sábado, 21 de março de 2020

"Boletim Impostômetro Fecomércio-MT: Tributos equivalem a 35,17% do PIB brasileiro em 2019"

Dos R$ 7,3 trilhões produzidos em bens e serviços finais no ano de 2019, a carga tributária brasileira alcançou – no mesmo ano – um nível recorde e equivaleu a 35,17% do PIB, segundo estudo “Carga tributária bruta de 2019”, elaborado pelos economistas José Roberto Afonso e Kleber Pacheco de Castro. O resultado se aproxima do valor observado no Impostômetro, divulgado semanalmente pela Fecomércio-MT, e reflete a alta carga tributária que a população já paga anualmente. No ano passado, foram recolhidos em impostos, taxas, contribuições e multas o montante de R$ 2,5 trilhões.
Neste ano, o volume recolhido da economia pelo setor público já soma R$ 594 bilhões, um acréscimo de R$ 24 bi se comparado com os primeiros 80 dias do ano passado.
Representando 1,25% do total arrecadado no país, Mato Grosso já acumula um acréscimo de R$ 321 milhões, de um total de R$ 8,6 bilhões recolhidos em tributos municipais, estadual e federal aos cofres em Mato Grosso, segundo o "Boletim Impostômetro", da Fecomércio-MT.
Ainda segundo o estudo dos economistas, houve aumento tanto na União quanto nos estados e municípios. O Imposto de Renda das empresas (IRPJ) respondeu por 40% do crescimento da carga tributária e o imposto estadual (ICMS) por quase 30%. Para eles, a subida forte da carga, ainda que possa ter contribuído para não piorar a crise fiscal, atrapalha a demanda e tem influência negativa no resultado da atividade econômica.
O “Boletim Impostômetro” divulga além do valor pago em tributos pela população, traz ainda informações sobre questões tributárias do estado e país.
O Sistema S do Comércio, composto pela Fecomércio, Sesc e Senac em Mato Grosso, é presidido por José Wenceslau de Souza Júnior. A entidade é filiada à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que está sob o comando de José Roberto Tadros.
Stephanie Romero/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos