SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

quarta-feira, 29 de abril de 2020

"BPC-LOAS: Advogada de MT explica quem tem direito ao benefício de prestação continuada"

Não é necessário estar trabalhando ou ter tido a carteira de trabalho assinada anteriormente para poder acessar o benefício. O benefício de prestação continuada (BPC – LOAS) é um direito que todo brasileiro possui. Conforme explica a advogada Elaine Freire, de Cuiabá (MT), não é necessário estar trabalhando ou ter tido a carteira de trabalho assinada anteriormente para poder acessar o benefício, mas existem alguns requisitos necessários. “A Lei Orgânica da Assistência Social é um projeto do Governo Federal para beneficiar um grupo específico de pessoas.
Tem direito a receber o BPC o idoso acima de 65 anos e as pessoas com deficiência física, mental, intelectual ou motora, independentemente da idade, contanto que a limitação as impeça de gozarem de uma vida plena em sociedade”, explica a advogada.
Além da idade e as deficiências citadas, o solicitante deve possuir renda familiar de até ½ do salário-mínimo vigente por pessoa, ou seja, atualmente é o valor de R$522,50. Deve possuir também a nacionalidade brasileira, não estar recebendo outro benefício e estar cadastrado no CadÚnico antes do requerimento do benefício ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).
Elaine Freire reforça que o BPC não é aposentadoria, não tem 13° salário e não transmite com a morte.
Para solicitar o benefício, o cidadão faz o requerimento junto ao INSS, presencialmente em qualquer posto de atendimento. “Caso o pedido seja negado, o cidadão deve recorrer À justiça para fazer valer o seu direito”, orienta Freire.
É importante lembrar que neste momento de pandemia, ocasionada pelo novo coronavírus (Covid-19), os atendimentos nos postos do INSS estão suspensos e o cidadão deve aguardar em casa o retorno dos serviços. Em caso de dúvida, é necessário consultar um advogado especialista.
Sandra Carvalho/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos