SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf
Rua Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, - Ed. Marechal Rondon - Centro Político Administrativo - Cuiabá-MT

Loja Oficial - Casa Prado

Loja Oficial - Casa Prado
Camisetas, Polos, Calças, Bermudas, Sapatos e Acessórios de Qualidade na Casa Prado!

terça-feira, 14 de abril de 2020

"GESTÃO: Lideranças irão sentir momento “Star Wars” no online"

A pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) surpreendeu o mundo com um enredo digno de uma produção hollywoodiana. A velocidade do avanço do vírus em escala global desencadeou um cenário de transformações e adaptações permanentes que culminou em pessoas fisicamente isoladas, porém unidas pela internet. Logo, um novo desafio surge para o universo corporativo: como não permitir que esse quadro resulte em “galáxias muito (muito) distantes”.
Conforme explica Paulo Almeida, professor e pesquisador da Fundação Dom Cabral (FDC) – empresa associada do Grupo Valure em Mato Grosso –, muitas empresas passaram a adotar recentemente a gestão online e devem encarar um “momento Star Wars” da liderança. Isto, pois chegou o tempo de realizar escolhas tão importantes quanto decidir um lado da Força, algo que define o destino de um Jedi ou Sith na saga cinematográfica de George Lucas.
“Estamos vivendo um tempo diferente, que irá demandar escolhas de um jeito que provavelmente nunca mais serão as mesmas. É provável que as formas de trabalho que vamos aprender a reaprender terão impacto sobre as lideranças – que, por sua vez, terão que lidar com paradoxos [opiniões ou proposições contrárias ao senso comum]. O que chamo de ‘momento Star Wars da liderança’ é válido para o online, mas provavelmente simbolizará uma ruptura que será sentida no offline”, comenta.
Neste viés, Paulo reforça que liderar exigirá disciplina, sacrifício, organização, equilíbrio interior e gerir paradoxos. “Normalmente, a escolha girava entre um estilo de liderança mais tradicional: imediatista, que busca o curto prazo, ou focada no longo prazo da organização. O líder escolhia ficar do lado da ‘luz’ ou do lado ‘negro’ da Força. No mundo pós-Covid-19, haverá um desapego dos modelos anteriores. Os líderes terão que lidar com a somatória de duas variáveis: paradoxos e escolhas”.
O professor e pesquisador da FDC complementa que, evidentemente, um paradoxo pode eventualmente encurtar uma escolha – mas, um paradoxo não implica necessariamente em uma escolha. “Não precisa escolher entre ‘e’ ou ‘ou’. Você pode escolher ambos os caminhos: ações que visam o agora e o futuro. Além disso, é hora de acelerar a transição das empresas para o digital, o que também significará uma transformação para se tornarem ainda mais resilientes”.
Diante de um mundo hiperconectado, Paulo sinaliza que transmitir tudo isso aos hierárquicos implicará em lidar com quatro aspectos de forma equilibrada. “São eles: a ansiedade; o autoconhecimento (olhar para a própria liderança sem perder a humildade e o propósito); a resiliência (entender como que se tornará mais resiliente nesse mundo novo, que colocou uma civilização em pausa, e como transmitirá essa resiliência ao time); e não perder o foco”, finaliza.
ZF PRESS/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos