SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

sexta-feira, 12 de junho de 2020

"Bolsonaro recria Ministério das Comunicações"

O presidente Jair Bolsonaro nega que ministério seja aceno ao centrãoExtinta por Temer, pasta volta turbinada e passará a ser responsável pelo controle e distribuição das verbas publicitárias do governo. Ministro será deputado do "centrão" Fábio Faria, genro de Silvio Santos.O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (11/06) a recriação do Ministério das Comunicações, pasta que havia sido extinta durante o governo Michel Temer. O ministério nascerá a partir da divisão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, hoje chefiado por Marcos Pontes e que vinha sendo alvo de cobiça de partidos do "centrão” em meio às negociações com Bolsonaro. A pasta renasce turbinada: vai incorporar, por exemplo, as funções da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) e passará a ser responsável pelo controle e distribuição das verbas publicitárias do governo.
Atualmente, a Secom está nas mãos do publicitário Fabio Wajngarten, considerado um amigo dos filhos do presidente e que é ligado à chamada "ala ideológica” do governo.
O ministro será o deputado Fábio Faria (PSD-RN), genro do empresário Silvio Santos, dono do SBT. Seu partido é integrante do chamado "centrão", bloco de legendas com quem Bolsonaro vem negociando a formação de uma base de apoio no Congresso.
"Nesta data, via MP, fica recriado o Ministério das Comunicações a partir do desmembramento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações”, disse Bolsonaro no Facebook. Segundo o Palácio do Planalto, o novo ministério não aumentará as despesas.
As negociações com o "centrão" ganharam força ao mesmo tempo em que cresce a atenção em torno da possibilidade de um processo de impeachment contra Bolsonaro ou possível avanço de investigações contra o entorno do presidente. Integrantes ou indicados do "centrão", até então, ocupavam apenas cargos de fora do primeiro escalão do governo.
No final da noite de quarta, Bolsoanaro negou que o novo ministério seja uma sinalização ao "centrão" – ele disse, segundo o jornal Folha de S. Paulo, que "não teve acordo com ninguém" e que nem sabia de qual partido é Faria.
Na mesma fala, o presidente disse também que pretende privatizar o mais rapidamente possível a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que será incorporada ao novo ministério.
Ainda não foi divulgado todas as estruturas que serão transferidas para a recém-criada pasta. Mas a expectativa é que entrem nela pautas que já estavam sob sua tutela no governo Temer. Entre essas atribuições, a definição de políticas públicas dos serviços de telecomunicações (telefonia fixa, móvel e internet) e de radiodifusão (concessão de rádios e TVs).
RPR/ots/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos