SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf

Tribunal de Contas de Mato Grosso - Presidente Dr. Guilherme Maluf
Rua Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, - Ed. Marechal Rondon - Centro Político Administrativo - Cuiabá-MT

Loja Oficial - Casa Prado

Loja Oficial - Casa Prado
Camisetas, Polos, Calças, Bermudas, Sapatos e Acessórios de Qualidade na Casa Prado!

sábado, 20 de junho de 2020

"CORONAVÍRUS: Merkel pede que alemães usem aplicativo de rastreamento para covid-19"

Corona Warn-App (picture-alliance/A. Widak)Chanceler apela a cidadãos para que baixem software que ajuda a determinar contatos que testaram positivo para coronavírus. Lançado na semana passada, ele já foi instalado por mais de 9 milhões de pessoas no país. Em seu podcast semanal de vídeo, a chanceler federal Angela Merkel apelou aos alemães, neste sábado (20/06), que instalem e usem o aplicativo de rastreamento para covid-19.
Merkel disse querer "pedir calorosamente a todos os cidadãos: faça o download do aplicativo gratuito e use-o." O aplicativo ajuda a determinar os contatos que testaram positivo para o novo coronavírus, na expectativa de que possa ajudar a interromper as cadeias de infecção. "Quanto mais gente usar o aplicativo, mais útil será", apelou Angela Merkel em seu vodcast semanal.
O software gratuito está disponível desde a última terça-feira e, segundo os últimos dados do Instituto Robert Koch, responsável pelo controle de doenças na Alemanha, o aplicativo já foi instalado até agora por mais de 9 milhões de pessoas.
Merkel afirmou que o uso do software é absolutamente voluntário e que não há recompensas para quem o use, nem desvantagens para quem não quiser, mas acrescentou que é do "interesse de cada indivíduo" saber se já teve contato próximo com alguém infetado."Valeu a pena apostar na máxima transparência possível e nas maiores exigências, no que diz respeito à proteção de dados e segurança informática. Hoje, podemos dizer que esse aplicativo merece confiança", afirmou a chefe alemã de governo.
O aplicativo não registra a localização dos usuários, o que impossibilita que as autoridades os espionem. Ele reconhece apenas quais outros usuários estão atualmente nas proximidades.
Para isso, os celulares enviam números de identificação de curto prazo. Os detalhes reais do contato só são armazenados localmente no celular do usuário, porém criptografados de forma que mesmo o proprietário não consegue vê-los. Os dados são apagados automaticamente após duas semanas.
Deutschland Video-Podcast Bundeskanzlerin Angela MerkelOs dados vão também parar em servidores de verificação e de aplicativos. Anonimizados, porém, eles servem para o envio de chaves de verificação e números de transação, a fim de que o sistema funcione com segurança. Para aumentar a segurança do aplicativo e garantir transparência, os desenvolvedores publicaram com antecedência o código-fonte do aplicativo.
Se um laboratório detecta que alguém foi infectado com o Sars-Cov-2, o paciente em questão recebe, juntamente com o resultado do exame, um código QR especial, que deve ser escaneado com o celular. Só então é possível emitir um alerta, enviado a todos os que estiveram nas proximidades do contaminado nos últimos 14 dias por um mínimo de 15 minutos.
"O aplicativo de rastreamento do coronavírus é um auxiliar importante na detecção e interrupção de cadeias de infecção", disse Merkel. O mais importante, no entanto, é evitar novas infecções desde o início e respeitar as medidas de higiene. "Manter distância, lavar as mãos e usar máscaras cotidianas continua sendo essencial."
Desde o início da pandemia, a Alemanha registrou mais de 189 mil casos de infectados, dos quais 8.883 óbitos, segundo o Instituto Robert Koch. Atualmente, os hospitais alemães têm 376 pacientes com covid-19 nos cuidados intensivos.
Até agora, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 460 mil mortes e infectou mais de 8,68 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins, nos EUA.
CA/rtr/lusa/afp/dpa/dw/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos