SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"
"Juntos Somos Mais Fortes

segunda-feira, 6 de julho de 2020

"LEI DO CONSIGNADO: Vereador Luis Claudio comemora a suspensão do pagamento dos empréstimos consignados dos servidores na pandemia"

A Lei passa a valer a partir de 1 de julho, por três meses, podendo ser prorrogada, sem a incidência de juros e multas. O líder do prefeito na Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Luis Claudio (Progressistas), comemora a promulgação da Lei que garantirá a suspensão, por três meses, do cumprimento das obrigações financeiras, referentes a empréstimos consignados, contraídos por servidores públicos municipais, ativos e inativos, de todas as categoriais, em decorrência da pandemia causada pelo novo Coronavírus (Covid-19). A Lei 6.547 passa a vigorar a partir de 01 de julho e poderá ser prorrogada.

A Câmara Municipal de Cuiabá, com o voto unânime dos parlamentares, rejeitou o veto total do Executivo Municipal, quanto a esta Lei, de autoria do vereador Adevair Cabral, que entra em vigor em caráter excepcional, onde suspenderá os empréstimos consignados, ou seja, com desconto em folha de pagamento, pelo prazo de 90 dias.
“Isso é muito bom para o servidor público, pois dá três meses de carência aos empréstimos, neste período de pandemia. Fico muito feliz de termos ajudado a derrubar este veto e parabenizo o vereador Adevair Cabral pela iniciativa”, comemora o vereador Luis Claudio.
O prazo de suspensão também poderá ser prorrogado por igual período ou enquanto durar o estado de emergência declarada pelo município de Cuiabá.
Vale ressaltar que, as parcelas que ficarem sem pagamento, durante este período, deverão ser acrescidas ao final do contrato, sem a incidência de juros e multas.
Beatriz Saturnino/Camino Político
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos