SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

"Dnit autoriza licitação de primeiro trecho do rodoanel"

Serão 22 km de pista duplicada e em concreto. Edital sai na próxima semana. A Secretaria de Infraestrutura de Mato Grosso (Sinfra) deve lançar, na próxima semana, o edital para as obras do primeiro trecho do Contorno Norte de Cuiabá e Várzea Grande, também conhecido como rodoanel. Serão duplicados e ganharão pista em concreto 22 km que vão da MT-251 (que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães) à BR-163, passando pelos distritos da Guia e Sucuri. O autorização para lançar o edital foi dada nesta terça-feira (25.08), pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), durante reunião do superintendente do órgão em Mato Grosso, Orlando Fanaia, o governador Mauro Mendes, o senador Wellington Fagundes, o secretário de Infraestrutura, Marcelo Oliveira e o chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.
Neste primeiro trecho, devem ser investidos R$ 227 milhões, recursos que serão aplicados na construção de uma ponte sobre o rio Cuiabá, a duplicação dos 11 km já existentes, a construção de outros 11 km e a aplicação de concreto, além de viadutos.
Visualização da imagemPresidente da Frente Parlamentar de Infraestrutura e Logística, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) considera o rodoanel uma das obras mais importantes para a logística de transportes não só para Cuiabá e Baixada Cuiabana, mas para todo o Brasil. “Ela vai interligar o tráfego do Norte e do Sul do país”, lembra, ao se referir a Cuiabá como um dos principais entroncamentos rodoviários. “Por aqui, passam as cargas que vêm do Sul e vão para o Norte e vice-versa. Era inaceitável que ela continuasse parada. Fui várias vezes ao Dnit e à Sinfra para tentar agilizar o processo”
Ao total, o rodoanel deve ter uma extensão de 52 km (41 km na capital e outros 11 km em Várzea Grande). Mas o segundo trecho, que vai da MT-251 até a saída para Rondonópolis, ainda precisa de adequações orçamentárias para que o edital seja lançado. “Vamos tentar resolver isso o mais rápido possível. O governo do Estado considera essa obra estratégica”, disse o governador Mauro Mendes. Segundo ele, a contrapartida do Estado nos recursos aumentou de 10% para 40%.
Após sua conclusão o complexo vai ligar a região do Trevo do Lagarto, em Várzea Grande, até o Distrito Industrial de Cuiabá, passando pela Estrada da Guia (MT-010), rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), chegando à BR-364.
A obra é resultado do convênio firmado entre Governo do Estado e Governo Federal, por meio da Sinfra e do Dnit, com recursos federais. No total, serão necessários quase R$ 500 milhões em investimentos. Desses, R$ 130 milhões estavam na conta do governo do Estado há quase 10 anos, depois do convênio e do projeto terem apresentados problemas.
“Sempre lutei por essa obra e apontei que o problema de estar parada há vários anos não era falta de recursos, mas de vontade política em fazê-la. Parabéns ao governador Mauro Mendes que agora resolveu fazê-la, lembra Wellington.
O rodoanel vai desafogar o tráfego dos núcleos urbanos de Cuiabá e Várzea Grande, bem como das rodovias que circundam a área metropolitana, modernizando a infraestrutura viária da região.
Da assessoria/Caminho Político
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos