SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

"SEGURANÇA: Penitenciária Mata Grande não possui casos de reeducandos com a Covid-19"

Em visita ao presídio, o deputado Claudinei tomou conhecimento que cerca de 1.500 recuperandos não foram contaminados pelo novo coronavírus. A segunda maior unidade prisional de Mato Grosso, a Penitenciária Major Eldo de Sá Correa, conhecida por Mata Grande, localizada em Rondonópolis (MT), contou com a visita do deputado estadual e presidente da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Delegado Claudinei (PSL). O parlamentar foi recepcionado pelo diretor da instituição, Ailton Ferreira, que apresentou toda a estrutura, os projetos de ressocialização com os reeducandos e toda a dinâmica de trabalho dos policiais penais dentro do presídio.
O encontro teve o propósito de levantar as principais necessidades da instituição, como, também, conhecer de perto todas ações desenvolvidas pela unidade prisional juntamente com os reeducandos. “Na verdade, aqui é um modelo a ser seguido em todo o Brasil, principalmente em relação aos projetos de ressocialização com os recuperandos que garantem a remição da pena e o preso tem a oportunidade de trabalhar, ser remunerado e não ficar pensando em praticar mais crimes”, comenta Claudinei.
Pandemia
Em relação aos casos de Covid-19 dentro da penitenciária, Ailton informou que não houve nenhum reeducando contaminado com a doença. “Hoje não tem casos confirmados ou suspeitos na unidade de Rondonópolis. Seguimos uma filosofia, em que nossas ações estão voltadas para a segurança, disciplina e ressocialização. Desde março, os presos não fazem ou recebem visitas de familiares para evitar a disseminação da doença dentro do presídio”, explica o diretor.
Um dos protocolos seguidos pela Mata Grande para evitar o contágio entre os reeducandos é a proibição de visitas presenciais de familiares e advogados, tanto que contam com uma sala de videoconferência. Outra iniciativa é a realização de isolamento por 14 dias de pessoas que acabaram de serem presas - em cela individual - para verificar se apresentam algum sintoma da Covid-19, antes de juntá-las com os outros recuperandos.
De acordo com dados da última terça-feira (25), o Boletim Epidemiológico da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp) aponta que foram 302 casos confirmados de servidores infectados pela Covid-19 e três óbitos. Em relação aos recuperandos, foram 1.161 contaminados nas unidades prisionais e duas mortes decorrentes da doença.
Ressocialização
A Mata Grande promove trabalhos extramuros entre os recuperandos que, neste período da pandemia, foram suspensos por tempo indeterminado. “Temos vários projetos extramuros com a população carcerária e conseguimos reinseri-los na sociedade com dignidade e com uma profissão. Já realizamos cerca de 302 obras desde 2012 para cá. Um recuperando que está trabalhando, ele é remunerado. Temos importantes parceiros e tem projeto em que o preso vai trabalhar 6h da manhã e retorna às 17h para a penitenciária”, esclarece Ailton.
Uma das atividades intramuros oferecidas aos reeducandos dentro da penitenciária são de costura para a confecção de roupas, horta para o cultivo de legumes e hortaliças, padaria e confeitaria, artesanato, marcenaria e serralheria para a produção de móveis. “Fiquei muito feliz em conhecer todos os trabalhos desenvolvidos por essa unidade prisional. Lutarei mais ainda pelo fortalecimento das instituições de segurança pública. Agradeço a receptividade do diretor da unidade e de todos os servidores que desenvolvem os seus trabalhos com excelência nesta penitenciária”, elogia o deputado.
O diretor da penitenciária ressalva que os aprendizados adquiridos pelos reeducandos é a garantia de terem a oportunidade de renda e trabalho quando cumprirem a pena. “Eles têm a chance de serem encaminhados para empresas e colocar em prática o que aprenderam aqui dentro. É uma mão-de-obra qualificada que muitas empresas aproveitam. Todos que trabalham são remunerados. O valor recebido varia de cada reeducando, uns recebem um salário mínimo, meio ou 1/3 do salário”, diz.
O governo de Mato Grosso conta com cerca de 52 unidades penais do Sistema Penitenciário. A penitenciária Mata Grande hoje conta com cerca de 1.500 reeducandos, sendo 350 na cadeia pública com presos provisórios e o restante já com a condenação estabelecida.
Samantha dos Anjos/Caminho Político
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos