SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

"CORONAVÍRUS: Brasil tem 14 mil novos casos e 504 mortes por covid-19"

Praia de Ipanema lotada em 6 de setembro de 2020Ao todo, país soma mais de 4,16 milhões de infectados e 127 mil mortos, segundo dados oficiais. TSE define protocolo sanitário para as eleições municipais, e pessoas com sintomas da covid-19 não deverão votar. O Brasil registrou 14.279 casos confirmados de coronavírus e 504 mortes ligadas à doença nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados nesta terça-feira (08/09) pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Ministério da Saúde.
O balanço eleva o total de infectados para 4.162.073, enquanto o total de óbitos chega a 127.464. Ao todo, 3.397.234 pessoas se recuperaram da doença, e 637.375 estão em acompanhamento, segundo o ministério. O Conass não divulga número de recuperados.
Diversas autoridades e instituições de saúde alertam que os números reais de casos e mortes devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.
O ritmo de transmissão da covid-19, por sua vez, está em desaceleração. Segundo dados do Imperial College de Londres, a taxa de contágio no país foi de 0,94 na última semana, a mais baixa desde o final de abril. O índice mostra para quantas pessoas um paciente contaminado transmite o vírus.
São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia, com 858.783 casos e 31.430 mortes. O total de infectados no território paulista supera os registrados em praticamente todos os países do mundo, exceto Estados Unidos (6,32 milhões), Índia (4,28 milhões) e Rússia (1,03 milhão). Ou seja, se São Paulo fosse um país, seria o quinto mais afetado do planeta.
A Bahia é o segundo estado brasileiro com maior número de casos, somando 272.814, seguida de Minas Gerais, com 236.663, Rio de Janeiro, com 233.373, e Ceará, que soma 222.577.
Já em número de mortos, o Rio é o segundo estado com mais vítimas, somando 16.646 óbitos. Em seguida vêm Ceará (8.567), Pernambuco (7.741), Pará (6.269), Minas Gerais (5.877) e Bahia (5.734).
A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 60,7 no Brasil – cifra bem acima da registrada em países vizinhos como a Argentina (22,76) e o Uruguai (1,30). O número brasileiro também supera o dos EUA, o país mais atingido do mundo, que tem taxa de mortalidade de 57,83.
Por outro lado, nações europeias duramente atingidas, como o Reino Unido (62,63) e a Bélgica (86,75), ainda aparecem à frente, embora suas taxas estejam praticamente estabilizadas, enquanto a brasileira segue crescendo.
Em números absolutos, o Brasil é o terceiro país do mundo com mais infecções, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam 6,32 milhões de casos, e da Índia, com 4,28 milhões. Mas é o segundo em número de mortos, depois dos EUA, onde mais de 189 mil pessoas morreram pela covid-19.
A Índia, que chegou a impor uma das maiores quarentenas do mundo no início da pandemia e depois flexibilizou as restrições, é a terceira nação com mais mortos, somando 72,7 mil óbitos.
Ao todo, o mundo já registrou mais de 27,4 milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus, enquanto mais de 894 mil morreram em decorrência da doença.
Regras definidas para as eleições municipais
Nesta terça-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou um plano de segurança sanitária para as eleições municipais de 2020. Em função da pandemia, o tribunal estabeleceu um protocolo com medidas preventivas para eleitores e mesários que vão trabalhar no pleito em novembro.
Segundo o plano, os eleitores só poderão entrar nos locais de votação se estiverem usando máscaras, e deverão higienizar as mãos com álcool em gel antes e depois de votar. Uma distância de um metro entre as demais pessoas deverá ser mantida. O TSE recomenda ainda que o eleitor leve sua própria caneta para assinar o caderno de votação.
Os cerca de 2 milhões de mesários deverão trocar as máscaras de proteção a cada quatro horas, manter distância mínima de um metro entre os eleitores e os demais mesários, limpar as superfícies com álcool 70% e higienizar as mãos com álcool em gel constantemente.
Eleitores e mesários que estiverem com sintomas da covid-19 não devem comparecer ao local de votação. Posteriormente, a ausência poderá ser justificada na Justiça Eleitoral.
EK/abr/ots/cp
Caminho Politico
#caminhopolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos