SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

terça-feira, 29 de setembro de 2020

"CORONAVÍRUS: Brasil tem 317 mortes por covid-19 em 24 horas"

Epidemia já matou mais de 142 mil pessoas no país. Autoridades reportam ainda mais de 13 mil novos casos, e total de infectados chega a 4,74 milhões. Número de mortos no mundo se aproxima de 1 milhão. O Brasil registrou oficialmente 317 mortes em decorrência da covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde divulgados nesta segunda-feira (28/09).
Com o novo balanço diário, o total de óbitos chega a 142.058. O país ainda registrou 13.155 casos de coronavírus em 24 horas, elevando o total de infectados para 4.745.464.
Ao todo, 4.084.182 pessoas se recuperaram da doença até o momento, segundo o ministério. O Conass não divulga informações sobre recuperados.
Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais de casos e mortes devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.
As cifras reportadas nas segundas-feiras também costumam ser mais baixas, já que equipes responsáveis pela notificação funcionam em escala reduzida nos fins de semana.
São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia, com 973.142 casos e 35.125 mortes. O total de infectados no território paulista supera os registrados em praticamente todos os países do mundo, exceto Estados Unidos (7,1 milhões), Índia (6 milhões) e Rússia (1,1 milhão).
A Bahia é o segundo estado brasileiro com maior número de casos, somando 306.629, seguida de Minas Gerais (290.137), Rio de Janeiro (262.006), Ceará (239.062) e Pará (228.068).
Já em número de mortos, o Rio é o segundo estado com mais vítimas, somando 18.291 óbitos. Em seguida vêm Ceará (8.921), Pernambuco (8.190), Minas Gerais (7.240), Bahia (6.648) e Pará (6.551).
A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 67,6 no Brasil, uma das mais altas do mundo – só fica abaixo dos índices registrados no Peru (100,48), Bélgica (87,37) e Bolívia (69,21), sem levar em conta micronações ou principados.
A cifra brasileira é bem mais alta que a registrada em países vizinhos como Argentina (35,40) e Uruguai (1,36), e também supera a dos EUA (62,58), nação mais atingida pela pandemia no planeta, e a do Reino Unido (63,28), país europeu com mais mortes.
Em números absolutos, o Brasil é o terceiro país do mundo com mais infecções, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam 7,1 milhões de casos, e da Índia, com 6,07 milhões. Mas é o segundo em número de mortos, depois dos EUA, onde morreram mais de 204 mil pessoas.
A Índia, que chegou a impor uma das maiores quarentenas do mundo no início da pandemia e depois flexibilizou as restrições, é a terceira nação com mais mortos, somando 95,5 mil.
Ao todo, o mundo já registrou mais de 33,2 milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus e se aproxima de 1 milhão de mortes ligadas à doença, ao acumular 999 mil óbitos, segundo contagem mantida pela Universidade Johns Hopkins.
EK/ots/CP
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos