SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

"Wellington faz peregrinação em busca de apoio a ações para reduzir incêndios florestais "

Além de afetar a biodiversidade dos biomas, fogo tem provocado aumento de doenças respiratórias em MT. Membro titular da Comissão de Meio Ambiente, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) fez - e deve continuar - uma verdadeira peregrinação em busca de apoio a para execução de um estudo profundo sobre os incêndios florestais em Mato Grosso. Ele está convencido de que somente dessa forma será possível reduzir o número de focos de calor nos santuários ecológicos de Mato Grosso, como Chapada dos Guimarães, Nobres e Pantanal, cuja vegetação seca arde em chamas.

Nesta quarta-feira, 02/09, Fagundes tomou café com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, depois se reuniu com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e fechou o dia com uma audiência com o ministro Milton Ribeiro, da Educação. Além das pautas específicas, Wellington pediu a todos que olhassem com preocupação a situação do fogo em Mato Grosso, cuja fumaça tem afetado duramente à população.
Com cerca de 500 mil hectares devastados, o Pantanal tem chamado atenção da comunidade internacional. O fogo também tem castigado o cerrado da Chapada, onde existe, inclusive, um santuário de elefantes. A fumaça dos incêndios florestais tem propagado em todo Estado. As doenças respiratórias aumentaram em mais de 70%.
Segundo o senador relatou ao ministro da Educação, existem uma grande quantidade de ONGs e pesquisadores atuando na região pantaneira, estudando o bioma. “É possível convergir esforços numa direção que evite essa devastação” - frisou, ao destacar o trabalho de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e do Sesc-Pantanal.
Fagundes já levou ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sugestão para que fosse criado um programa federal que estimule atividades econômicas sustentáveis no Pantanal, levando em consideração as características do bioma e o conhecimento acumulado pelos povos tradicionais e proprietários de áreas na região.
Esse programa, na proposta do senador pode contar com apoio internacional, já que o Pantanal, maior área alagada do planeta, se estende a países como a Bolívia, Paraguai e Argentina.
Medicina e UFR
Além de discutir a articulação de um amplo estudo ambiental para reduzir os incêndios florestais em Mato Grosso, o senador Wellington Fagundes pediu ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, atenção as ‘novíssimas universidades’, onde se inclui a Universidade Federal de Rondonópolis, a UFR.
Criadas e implantadas nos governos de Michel Temer e Jair Bolsonaro, essas instituições precisam ter suas estruturas administrativas consolidadas, para atender aos objetivos pelas quais foram criadas.
Fagundes também mostrou ao ministro a importância de se implantar um curso de Medicina na cidade de Barra do Garças destinada a atender a carência educacional e de profissionais em toda região do Vale do Araguaia.
Da assessoria/Caminho Político
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos