DIRETO DA VENEZUELA

DIRETO DA VENEZUELA
Tweets por ‎@infoenlaceweb INSTAGRAM @INFOENLACEWEB

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Endereço: Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

terça-feira, 6 de outubro de 2020

"Fratelli Tutti e o filósofo: “A Igreja casa-se com o Iluminismo, mas não será ouvida”. Entrevista com Massimo Cacciari"

Acredito que a novidade desta encíclica é a ponte que lança entre Iluminismo e catolicismo. O Papa usa repetidamente as palavras liberdade, igualdade e fraternidade, ou seja, o fulcro daquele pensamento secular historicamente oposto ao pensamento da Igreja. Do ponto de vista político, ‘Fratelli Tutti’ é um pouco mais incisiva que as anteriores, ainda que permaneça na linha, já tradicional, das encíclicas sociais de crítica à globalização”. Massimo Cacciari, filósofo e voz laica, não esconde suas reservas. “O discurso de Bergoglio é um grande apelo à fraternidade universal que, sabemos, infelizmente não será ouvido”.Eis a entrevista. No entanto, é um apelo que se posiciona fortemente contra as desigualdades, contra a pena de morte, do lado dos migrantes, denuncia a exploração sem regras do planeta.
Temas, justamente, já clássicos nas encíclicas da Igreja. Em suma, é natural que Bergoglio fale das tragédias do mundo nesses termos. Um elemento de novidade, porém, é a condenação não só da guerra, mas também da guerra justa. Finalmente a Igreja tomou partido contra.
E a definição do vírus não como "castigo divino" ou "revolta da natureza", mas como "a própria realidade que geme"?
Só faltava que o Papa definisse a pandemia como um castigo divino. E até mesmo a natureza tem pouco a ver com isso. É o homem que geme, a natureza sempre ressurge, seremos nós, com os desastres que aprontamos no meio ambiente, que um dia não poderemos mais viver neste planeta. A natureza, por outro lado, encontrará uma forma de sobreviver a nós.
Existem indicações políticas precisas na encíclica de Bergoglio. A reforma da ONU. Contra soberanismos e nacionalismos. Em um mundo que já parece incapaz de prevenir a guerra.
É um apelo justo, a ONU parece ter falhado na sua tarefa que é encontrar mediações e acabar com os conflitos. Mas por trás dessas palavras, concretas, sinto a desorientação daqueles que, com sensibilidade religiosa, se perguntam por que, nestes dias sombrios, o Anticristo está vencendo. Há uma sensação de apocalipse nesta parte da encíclica.
Não há apenas desconforto. Bergoglio indica o diálogo como um antídoto para o desespero. "Fratelli Tutti", justamente.
Um apelo universal e assim permanecerá, apenas um apelo. O Papa justamente invoca o diálogo entre diferentes, mas ignora a outra parte do discurso, a única que pode mudar as coisas. Ou seja, a busca por menores denominadores comuns que nos permitam encontrar soluções para governar, para mediar conflitos. Não basta o Bom Samaritano, é preciso a política.
Claro, mas o Papa utiliza aquela parábola para nos convidar a construir novos laços sociais, sem dar às costas à dor dos outros.
É o que esperamos ouvir de um Papa, mas não é suficiente. Não existe uma crítica radical verdadeira ao sistema que cria as desigualdades, a um sistema político fundado no entrelaçamento da burocracia com as finanças.
Você compartilha o conceito de que o Covid, como diz Francisco, nos colocou todos no mesmo barco e ninguém pode se salvar sozinho? Cada um de nós pode contaminar e ser contaminado.
É a realidade. Mas o vírus não fez nada além de ressaltar e aprofundar imensas diferenças sociais.
Em suma, Cacciari, essa encíclica "Fratelli Tutti" não o convenceu?
Acho que não tem grandes elementos de novidade. Pobreza, meio ambiente, ecologia, críticas à globalização têm sido os cavalos de batalha da Igreja, eu diria há um século. A surpresa, porém, são aquelas três palavras: liberdade, igualdade, fraternidade.
O que lhe surpreendeu?
Ler várias vezes na encíclica termos que foram o símbolo do Iluminismo, detestado pela Igreja. Palavras que se tornaram agora uma ponte com o mundo secular, como valores universais para crentes e não crentes. Junto com a condenação da "guerra justa", aquelas passagens da encíclica "Fratelli Tutti" representam, efetivamente, algo novo.
A entrevista com Massimo Cacciari é de Maria Novella De Luca, publicada por La Repubblica e Caminho Político. A tradução é de Luisa Rabolini.Edição: Régis Oliveira. Foto: Ilust. Caminho Politico #caminhopolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos