DIRETO DA VENEZUELA

DIRETO DA VENEZUELA
Tweets por ‎@infoenlaceweb INSTAGRAM @INFOENLACEWEB

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Endereço: Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

DIA NACIONAL: Pacientes com ostomia podem ter vida normal, afirma coloproctologista Mardem Machado

Dia Nacional dos Ostomizados, celebrado em 16 de novembro, chama a atenção contra o preconceito.
A ostomia é um procedimento cirúrgico que pode causar vergonha nos pacientes e fazer com que eles sofram alguma forma de preconceito. Diante disso, o coloproctologista Mardem Machado, de Cuiabá(MT), destaca que após o procedimento o paciente pode ter uma vida normal e não deve sofrer qualquer forma de exclusão devido à colostomia ou ileostomia. Essa forma de procedimento constrói um caminho entre um órgão ao meio externo e é realizada em pacientes que apresentam quadros de perfurações no abdômen ou doenças no reto, intestino e bexiga.
A colostomia faz a comunicação do cólon com o exterior e a ileostomia faz uma ligação entre o intestino delgado com o exterior. Os procedimentos podem ser definitivos ou temporários, e são realizados para preservar a vida do paciente.
“Se temporária, o momento da reconstrução do trânsito intestinal será no momento adequado para que esse paciente não tenha mais riscos de vida. Nesse intervalo de tempo, se possível, a vida deve continuar normalmente, realizando suas atividades diárias de maneira firme, forte e sempre lutando por seus objetivos de vida”, explica Machado.
O médico diz que o paciente deve ser sempre bem orientado e adaptado para conviver com a nova situação. O indivíduo deve aprender a usar a bolsa de colostomia, esvaziá-la quando necessário, manter os cuidados e medidas de proteção da pele.
“Quando uma pessoa se depara com situações adversas, como a perda de qualquer órgão do corpo e da sua função, não deve ser motivo para estigmatizá-lo, criticá-lo ou excluí-lo do meio social e nem das suas atividades diárias. Muito pelo contrário, temos o dever de ajudar a reinserí-lo nas suas atividades diárias, no seu ambiente familiar, social e de trabalho”, comenta o médico.
De acordo com Mardem Machado, existem milhares de pessoas com ostomias no mundo, vivendo e lutando em busca de seus objetivos de vida. A perda de um órgão, como o reto, canal anal ou qualquer outra parte do corpo, não deve ser motivo para estigmatizar.
“O mais importante é manter o paciente bem, oferecendo-lhe apoio e amor para que ele possa manter sua vida normalmente, no seu ambiente familiar e profissional e que continue em busca da construção dos seus sonhos de vida”, completa o especialista, que atende pelo Mato Grosso Saúde na Clínica Vida, em Várzea Grande, e no IGPA, em Cuiabá.
Dia dos Ostomizados
Segundo a Associação Brasileira de Ostomizados, estima-se que, no Brasil, existem 400 mil pessoas ostomizadas. No dia 16 de novembro, lembra-se o Dia Nacional dos Ostomizados, data que visa a conscientização e objetivo de mobilizar a população brasileira para conhecer, respeitar e combater o preconceito a pessoa ostomizada. Ostoma, ostomia, estoma ou estomia são palavras que possuem o mesmo significado, derivado do grego em que “osto” é boca e “tomia” abertura.
Sandra Carvalho/Caminho Político
Caminho Politico #caminhopolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos