PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

CRECI-MT

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Colégio Eleitoral dos EUA confirma vitória de Joe Biden

Com votação dos 55 delegados da Califórnia, democrata supera a maioria de 270 votos necessária para chegar à Casa Branca, Trump anuncia saída do procurador-geral William Barr de seu governo. O Colégio Eleitoral dos Estados Unidos confirmou nesta segunda-feira (14/12), como era previsto, a vitória do democrata Joe Biden na eleição presidencial frente ao atual presidente, o republicano Donald Trump.
Com a votação dos 55 delegados da Califórnia, onde Biden venceu com cerca de 63% de votos, o democrata superou amplamente a maioria de 270 votos necessária para chegar à Casa Branca, horas depois do início das votações do Colégio Eleitoral em cada estado.
Com isso, o democrata se aproximou de confirmar os 306 delegados do Colégio Eleitoral, contra 232 de Trump. Considerando o voto popular, Biden teve 81,3 milhões de votos (51,3%) contra 74,2 milhões (46,8%) de Trump.
A cerimônia de posse de Biden como 46º presidente dos Estados Unidos está agendada para o dia 20 de janeiro.
No sistema eleitoral dos Estados Unidos, os delegados do Colégio Eleitoral confirmam, em suas reuniões em cada estado, o que foi votado nas urnas pelos milhões de americanos nas eleições, realizadas há um mês e meio.
A grande mídia já previa em 7 de novembro que Biden alcançaria 306 votos eleitorais e arrancaria a presidência de Trump, mas o atual presidente desde então se recusou a admitir a derrota, alegando, sem apresentar provas, ter ocorrido fraude eleitoral maciça, o que foi repetidamente refutado pelas autoridades eleitorais.
Essa campanha inédita realizada por Trump deu especial significado à votação no Colégio Eleitoral, que normalmente costuma ser um mero passo burocrático para ratificar um resultado já amplamente conhecido e aceito.
Trump anuncia saída de Barr
Trump não reagiu de imediato às notícias do Colégio Eleitoral, mas em uma aparente tentativa de tirar o foco, foi ao Twitter logo depois para anunciar que o procurador-geral do país, William Barr, deixará o cargo nos próximos dias.
"Bill vai sair [do cargo de procurador-geral dos EUA] pouco antes do Natal para passar os feriados com a família", escreveu o presidente, acrescentando que Barr vai ser substituído por Jeff Rosen, "uma pessoa excepcional" que era até agora procurador-geral adjunto.
Trump vinha expressando repetidamente sua insatisfação com Barr nas últimas semanas, devido às questões legais relacionadas com a eleição presidencial.
O presidente americano se irritou que Barr tenha declarado não ter encontrado evidências de fraudes eleitorais generalizadas e também com o fato de o procurador-geral não tê-lo informado durante a campanha eleitoral que o Departamento de Justiça abriu uma investigação contra Hunter Biden, um dos filhos do presidente eleito.
MD/efe/ap/cp
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos