PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Anvisa aprova importação de 2 milhões de doses da vacina de Oxford

Uso do imunizante desenvolvido pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, porém, ainda aguarda autorização da agência. Pedido foi apresentado pela Fiocruz. Anvisa autoriza importação de 2 milhões de doses de vacina de Oxford.
Uso do imunizante, porém, ainda aguarda autorização da agência. Pedido foi apresentado pela Fiocruz. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou neste sábado (02/91) que aprovou um pedido para a importação excepcional de 2 milhões de doses já finalizadas da vacina contra covid-19 produzida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.
O pedido foi apresentado pela Fiocruz, parceria da AstraZeneca e de Oxford no Brasil, e responspavel por produzir essa vacina no Brasil. O pedido indica que as vacinas já finalizadas devem chegar ao Brasil ainda em janeiro. A importação foi classificada como excepcional porque a vacina ainda não foi aprovada para uso no Brasil pela Anvisa. A importação não significa que a vacina poderá ser aplicada automaticamente assim que chegar ao país. A Fiocruz afirma que pretende fazer o pedido para autorização de uso nos próximos dias.
O Reino Unido autorizou no final dezembro o uso emergencial da vacina Oxford/AstraZeneca, seguindo um regime de aplicação de duas doses completas, com intervalo de um a três meses.
A importação de doses prontas da vacina marcou uma mudança de estratégia da Fiocruz. Em dezembro, a fundação afirmou que estava negociando a importação de doses já finalizadas, mas que o processo esbarrava na alta demanda mundial por vacinas. Inicialmente, a Fiocruz previa importar insumos para finalizar as vacinas no Brasil, com o objetivo de produzir 100 milhões de doses do imunizante. No entanto, as primeiras doses, um lote de um milhão, só ficariam prontas a partir da segunda semana de fevereiro.
Mesmo com a importação das 2 milhões de doses, a quantidade de vacinas disponíveis até o momento ainda está abaixo das previsões do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que estimou que o Brasil deveria ter 15 milhões de doses da Oxford/AstraZeneca já em janeiro. Recentemente, o ministro, que já fez outras previsões que não se concretizaram, falou que as 15 milhões de doses devem estar disponíveis em janeiro e fevereiro.
O Instituto Butantã, ligado ao governo de São Paulo, também importou doses de vacina contra covid-19, no caso, doses produzidas em parceria com a empresa chinesa Sinovac. O governo paulista diz que seu estoque de vacinas já chega a 10,8 milhões de doses. As autoridades paulistas preveem que a imunização no estado deve começar em 25 de janeiro, mas ainda não solicitaram que a Anvisa conceda a autorização para aplicação.
JPS/ots/cp
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos