TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

Democratas conquistam dupla vitória na Geórgia e terão controle do Senado dos EUA

Resultados são projetados com 98% dos votos apurados. Partido do presidente eleito Joe Biden terá metade do Senado, mais o voto de minerva da vice Kamala Harris. O Partido Democrata venceu as duas cadeiras do Senado em disputa na Geórgia e, com elas, obteve a maioria no Senado dos Estados Unidos para a próxima legislatura. O resultado representa uma grande derrota para o presidente Donald Trump no turbulento final de seu mandato e aumenta a chance de sucesso da agenda do presidente eleito Joe Biden.
A vitória de ambos foi projetada pela agência de notícias Associated Press e pela emissora CNN na noite de quarta-feira (06/01), com 98% dos votos estimados contados.
Segundo a projeção, Jon Ossoff e Raphael Warnock, candidatos democratas que representaram a diversidade do partido, derrotaram os republicanos David Perdue e Kelly Loeffler, dois meses após Biden ter sido o primeiro candidato democrata a ganhar no estado desde 1992. Loeffler se recusa a reconhecer a derrota.
Warnock, que foi pastor da mesma igreja de Atlanta onde o líder do movimento de direitos civis Martin Luther King Jr. pregava, se tornou o primeiro americano negro da Geórgia a ser eleito para o Senado. E Ossoff será o primeiro senador judeu do estado e, com 33 anos de idade, o integrante mais jovem do Senado desde que Biden foi eleito senador em 1973.
A eleição na Geórgia era esperada para marcar o desfecho do atribulado processo eleitoral de 2020, apesar de o sucesso democrata no estado ter sido ofuscado pela invasão do Capitólio por apoiadores de Trump, o que impediu a certificação da vitória de Biden nesta quarta-feira.
As duas vagas da Geórgia asseguram aos democratas, com o apoio de dois senadores independentes, 50 assentos no Senado, o mesmo número dos republicanos, e a vice-presidente eleita Kamala Harris terá direito a um voto de minerva em votações que terminarem empatadas. Os democratas já têm a maioria na Câmara dos Representantes.
A eleição realizada na terça-feira foi um segundo turno, já que nenhum dos candidatos a uma vaga obteve mais de 50% dos votos, como prevê a legislação da Geórgia, no primeiro turno, em 6 de novembro.
BL/ap/cp
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos