SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

MODAL: Assembleia vai discutir mudança do VLT pelo BRT em audiência pública proposta por Barranco

A audiência pública que vai discutir a mudança do modal ocorrerá no dia 1º de março, no auditório Milton Figueiredo, às 14 horas. A Assembleia Legislativa de Mato Grosso aprovou o requerimento do deputado estadual Valdir Barranco (PT) e vai realizar, no dia 1° de março, audiência pública para discutir a mudança do modal de transporte público a ser instalado entre Cuiabá e Várzea Grande, de VLT para BRT. O requerimento foi motivado pelo anúncio do governador Mauro Mendes (DEM) de substituir o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) pelo Ônibus de Trânsito Rápido (BRT) movido a eletricidade. Vale lembrar que as obras do VLT que eram para ser entregues em 2014 estão paradas há 6 anos. Segundo o autor da proposição, a audiência se faz necessária tendo em vista que o governador tomou tal atitude sem consultar a Casa de Leis".
"Não houve discussão nem com a assembleia nem com a população dos dois municípios. Supostamente, a decisão do governador está baseada em estudos técnicos comparativos entre os modais e no custo da instalação. Além disso, como o governo pretende alterar o objeto de contrato no empréstimo de mais de R$ 1 bilhão que foi realizado para o Consórcio do VLT, uma dívida com previsão para ser quitada até 2044. Já foram investidos milhões e agora ele quer simplesmente abandonar a obra. Precisamos discutir esta mudança", disse o parlamentar.
A obra começou em 2012, quando Silval Barbosa era governador de Mato Grosso. Inicialmente, estava orçada em R$ 1 bilhão. contudo, os gastos já ultrapassaram este valor por causa da corrupção naquele governo. Em 2018, o contrato com o consórcio VLT foi rescindido unilateralmente pelo estado como resultado de um processo administrativo motivado pela delação do ex-governador e a obra ficou parada.
Com a mudança de modal, o estado perderá tudo o que foi investido. Mesmo assim, o atual governador, Mauro Mendes (DEM), apresenta como vantagem o valor dos novos investimentos: R$ 430 milhões com a mudança para BRT, contra os R$ 763 milhões para conclusão do VLT. O governador ainda alega que a nova modalidade vai oferecer tarifa de R$ 3,05 ao consumidor, contra R$ 5,28 que seriam cobrados por viagem de VLT.
Se a Assembleia Legislativa aprovar o projeto de lei enviado pelo governo pedindo autorização para mudança de modal , o tempo para a implantação será de 24 meses e será realizada a contratação por meio de licitação das obras e veículos. O PL foi apresentado em plenário nesta terça-feira (5).
"Vamos ouvir a população, técnicos, o próprio governo e os deputados, como deve ocorrer num sistema democrático. Só depois, embasados, os parlamentares poderão votar pela manutenção do VLT ou pela mudança de modal e ainda fazer criticas e apresentar emendas ao projeto de lei se ele prevalecer", explicou o deputado Valdir Barranco. A audiência será realizada dia 1º de março, às 14 horas, no Auditório Milton Figueiredo, na sede da Assembleia Legislativa.
ROBSON FRAGA/Caminho Político
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos