TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quarta-feira, 3 de março de 2021

Líderes decidem votar projeto que autoriza estados, municípios e setor privado a comprar vacinas

Os deputados decidiram ainda votar a PEC que garante o pagamento do auxílio emergencial direto no Plenário da Câmara, sem passar antes pela CCJ.O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse depois da reunião de líderes desta terça-feira (2) que será votado nesta semana o projeto de lei que autoriza os estados, os municípios e o setor privado a adquirirem imunizantes contra a Covid-19 (PL 534/21). Ainda hoje, Lira vai se reunir com governadores para discutir a questão das vacinas e o combate a pandemia.
O texto aprovado pelo Senado permite que os compradores assumam a responsabilidade civil pela imunização, o que abre caminho para a entrada de novas variedades de vacina no País.
Já o setor privado fica obrigado a doar todas as doses compradas para o Sistema Único de Saúde (SUS) enquanto estiver em curso a vacinação dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. Após a conclusão dessa etapa, as empresas poderão ficar com metade das vacinas que adquirirem, e elas deverão ser aplicadas gratuitamente. A outra metade deverá ser remetida ao SUS.
O líder do PT, deputado Bohn Gass (RS), afirmou que há acordo para votação do projeto das vacinas. Segundo o parlamentar, é importante garantir no texto que os imunizantes devem ser ofertados pelo Sistema Único de Saúde.
“O SUS que tem que dar a garantia para não ter fura fila. Fura fila para endinheirado, não. O SUS tem que garantir dinheiro para todas as pessoas”, afirmou Bohn Gass.
PEC Emergencial
Lira afirmou também que a maioria dos líderes decidiu votar a PEC Emergencial (PEC 186/19), que garante o pagamento do auxílio emergencial direto no Plenário da Câmara. Dessa forma, a proposta de emenda à Constituição seguirá um rito célere na Câmara, sem precisar passar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) nem por comissão especial.
O texto prevê o pagamento do benefício já no mês de março. A PEC ainda está no Senado e deve ser votada ainda nesta semana naquela Casa.
O líder Bohn Gass afirmou que o PT não concorda com a vinculação de contrapartidas fiscais para aprovação da renovação do auxílio emergencial. “Precisamos de emergência social e não emergência fiscal”, defendeu.
O primeiro-vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), criticou a oposição por se posicionar contrária à tramitação especial da PEC Emergencial.
“Obstruir a PEC Emergencial é obstruir o direito do povo brasileiro de receber o auxilio emergencial já em março. Ser contra a tramitação especial da PEC é ser contra o povo brasileiro”, criticou Ramos.
Marcelo Ramos também informou que na reunião de líderes ficou acertado que as comissões permanentes da Casa voltarão a funcionar de maneira híbrida. Ele acredita que os colegiados serão instalados ainda nesta semana.
Reportagem - Luiz Gustavo Xavier
Edição - Wilson Silveira
Foto:Luis Macedo
Caminho Político @caminhopolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos