Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação

Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação
Av. Rui Barbosa, S/N- Jardim Universitrio, Cuiabá - Mato Grosso. As informações de contato se encontram no (65) 99293-3962

Vereador Didimo Rodrigues Vovó

Vereador Didimo Rodrigues Vovó
Trabalhar por uma Cuiabá melhor

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

Senado Federal

Senado Federal
Para saber mais sobre essa unificação, clique aqui.

segunda-feira, 12 de abril de 2021

A importância da Fitoterapia em tempos de pandemia

A pandemia do coronavírus vem a cada dia, registrando o aumento de óbitos decorrente a COVID-19. Sabemos que ainda não existe tratamento específico e efetivo contra esse vírus, e de forma alternativa é possível lançar mão da fitoterapia, como forma de auxiliar a terapia adotada em casos sintomáticos da doença.
Quando falamos de fitoterapia, nos referimos ao uso seguro e racional das plantas medicinais e fitoterápicos com evidências científicas já validadas para os agravos desencadeados pelo coronavírus. Recentemente um artigo foi publicado no Journal of Clinical Medicine e intitulado: “Fitoterapia para o tratamento da doença coronavírus 2019 (COVID-19): uma revisão sistemática e metanálise de ensaios clínicos randomizados”.
Eu, Dra. Isanete Bieski, enquanto especialista na área da Fitoterapia, preciso alertar a população sobre o uso seguro e racional das plantas medicinais, produto do conhecimento milenar e que vem sendo utilizado de forma irresponsável por muitas pessoas. Conforme resultados estatisticamente significativos citados no artigo observa-se que ensaios clínicos randomizados de muitas plantas medicinais e fitoterápicos podem diminuir a tosse, inflamação, processos infecciosos, conforme se observou dados significativos da terapia combinada de fitoterapia com a medicina ocidental, revelando assim um papel potencial da fitoterapia no tratamento da COVID-19. Porém são necessárias muitas outras pesquisas com ensaios clínicos randomizados para validar ainda mais a eficácia e os eventos adversos da fitoterapia no tratamento de COVID-19, e para isso precisamos de mais profissionais habilitados para tal, então fica o alerta para que mais farmacêuticos venham atuar nessa importante área.
Isanete Bieski é farmacêutica, bióloga e química, possui sete especializações em diversas áreas, mestrado, doutorado em Ciências da Saúde e pós-doutorado em Etnobotânica de Plantas Medicinais pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Experiências há mais de 20 anos na área de Fitoterapia pública e privada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos