TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Parlamento vota estatuto de vítima para crianças testemunhas de violência doméstica

PSD e PS, que tinha chumbado proposta em 2019, apresentaram projetos de lei após petição que reuniu mais de 50 mil assinaturas. Propostas devem ser analisadas esta semana em subcomissão parlamentar. A Assembleia da República vai votar o estatuto de vítima para as crianças expostas a contextos de violência doméstica.
PS, que em 2019 chumbou um projeto-lei do Bloco de Esquerda com o mesmo objetivo, e o PSD apresentaram, recentemente, duas propostas que pretendem reforçar os direitos dos mais vulneráveis ao evocarem o estatuto de vítima a crianças que, não sendo o alvo direto de violência doméstica, testemunhem ou convivam nesse contexto.
Sublinhe-se que as propostas dos dois partidos, com maior representação parlamentar, surgem depois de ter sido apresentada na Assembleia da República uma petição, a pedir o estatuto que reuniu mais de 50 mil assinaturas.
A petição contou com a ativista Francisca de Magalhães Barros, a presidente do IAC Dulce Rocha, a Presidente itinerária do IAC Manuela Ramalho Eanes, o penalista Rui Pereira, o advogado António Garcia Pereira e a advogada Isabel Aguiar Branco, além de figuras públicas como Nuno Markl, Jessica Athayde ou Catarina Furtado
As propostas, atualmente em discussão no Parlamento, vão ser analisadas na subcomissão parlamentar para a Igualdade e Não discriminação que, segundo o jornal Público, tem a próxima reunião agendada já para esta quinta-feira.
O reconhecimento do estatuto de vítima para as crianças expostas a um cenário de violência doméstica deverá por isso avançar. As propostas do PSD e do PS, que parece ter mudado de posição face a 2019, têm apenas uma diferença que se prende com o limite de idade. A dos sociais-democratas não faz qualquer referência, enquanto a dos socialistas prevê a aplicação a crianças ou jovens com idade inferior a 18 anos.
Assessoria/SOL/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos