Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação

Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação
Av. Rui Barbosa, S/N- Jardim Universitrio, Cuiabá - Mato Grosso. As informações de contato se encontram no (65) 99293-3962

Vereador Didimo Rodrigues Vovó

Vereador Didimo Rodrigues Vovó
Trabalhar por uma Cuiabá melhor

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

Senado Federal

Senado Federal
Para saber mais sobre essa unificação, clique aqui.

domingo, 18 de abril de 2021

SAÚDE AUDITIVA: Máscara e distanciamento podem reduzir em até 30% a audição; Vanessa Moraes dá dicas

Especialista explica que mesmo alguém com audição normal pode ter uma diminuição de 30% na audibilidade.
O uso de máscaras e as medidas de distanciamento social durante a pandemia do Covid-19 podem dificultar a comunicação entre as pessoas, especialmente para quem já tem problemas auditivos. A fonoaudióloga Vanessa Moraes, de Cuiabá (MT), fala sobre como enfrentar estes desafios impostos pela pandemia.
As máscaras faciais afeta de duas maneiras a compreensão da fala. “As máscaras restringem importantes sinais visuais da fala ao cobrir a boca e também podem alterar as propriedades acústicas do sinal de fala que é transmitido. Mesmo alguém com audição normal pode ter uma diminuição de 30% na audibilidade”, explica a fonoaudióloga que também é audiologista.
A pandemia também recomenda, como medida de segurança, distância mínima de um metro e meio entre duas pessoas, o que significa aproximadamente o dobro da característica de distância de muitas conversas normais. “Com isso, o sinal de fala já atenuado será reduzido ainda mais, tornando uma conversa já difícil ainda mais desafiadora”, pontua.
Diante deste cenário, Vanessa Moraes dá dicas importantes para enfrentar este momento e garantir uma boa comunicação. A primeira delas é se posicionar sempre de frente para a pessoa com quem está falando. “Também é importante que você se comunique em local claro, para que seu rosto esteja iluminado, o que ajuda muito no contato visual”.
A especialista também orienta o uso de técnicas que auxiliem a clareza da comunicação, como falar de forma lenta e clara, usar gestos e frases curtas, fazer uma pausa ocasional, porém sem gritar ou articular demais.
“Nunca tenha uma conversa importante enquanto caminha lado a lado e reformule suas perguntas ao invés de repetir as mesmas palavras”, pontua Vanessa Moraes, orientando ainda para procurar minimizar os ruídos do ambiente.
Outra estratégia é escrever palavras chaves para facilitar o entendimento e sentar-se o mais próximo possível, porém, respeitando a distância segura. “Se possível, considere um modelo de protetor facial transparente para maximizar os sinais faciais”, acrescenta a especialista em aparelhos auditivos.
Sandra Carvalho/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos