PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

domingo, 30 de maio de 2021

CINE TEATRO CUIABÁ: Documentário “Olha Aqui / Vida – Lixo” estreia no dia 2 de junho; entrada é solidária

Obra retrata vida e cotidiano de trabalhadores do Aterro Sanitário de Cuiabá.
Qual o impacto do lixo na sua vida? Para dezenas de trabalhadores no Aterro Sanitário de Cuiabá, ele é o ponto de partida para novas trajetórias: afinal, é no descarte que se faz o sustento e a busca por dias melhores. Tal perspectiva é retratada no documentário “Olha Aqui / Vida – Lixo”, cuja estreia será no dia 2 de junho, às 20h, no Cine Teatro Cuiabá. A entrada solidária é de 1kg de alimento não perecível. Os itens arrecadados serão doados para os trabalhadores do aterro sanitário. De acordo com o idealizador do projeto, o fotógrafo Fernando Rodrigues, a produção chega para mostrar como vivem e quais são as aspirações das pessoas que tiram seu sustento do que a sociedade joga fora. “Tudo começou quando recebi um convite do meu amigo Rogério Santana para fotografar o aterro sanitário. Ele faz parte do grupo Amigos Solidários de Cuiabá e teria uma ação por lá. No local, surgiu a ideia do documentário: contar como e por qual motivo as pessoas vivem ali daquela maneira”.
Em pouco mais de 10 dias, Fernando e seu parceiro de produção, Rogério Santana, eternizaram em vídeo histórias reais que, até então, permaneciam escondidas debaixo do sol forte da Capital mato-grossense. “Acompanhamos diariamente vários trabalhadores de diversas gerações. Vidas que começaram cedo por ali. Pessoas que entendem o mundo a partir do lixo. Entre elas, está a dona Miguelina, 70, que conduz com seu olhar o retrato do ambiente em que tira seu sustento dignamente há mais de 20 anos”.
Como o documentário surgiu durante a pandemia, todas as medidas de biossegurança foram tomadas para gravação. “Para além da autorização oficial para a gravação, tomamos todos os cuidados. E o resultado é o que o público poderá conferir na telona: nem as adversidades, o odor forte de chorume ou a presença constante de urubus pairando a região são capazes de tirar o sorriso do rosto ou a fé do coração dos trabalhadores do aterro sanitário”, pondera o fotógrafo.
Fernando complementa que, mais do que um retrato social, o documentário é também uma forma de alertar as pessoas sobre o local. “É preciso que as pessoas tenham consciência de que o lixo que você descarta em casa pode ser o luxo para outros. É preciso pensar na ponta. Além disso, quem sabe melhorias reais também possam entrar na pauta dos órgãos públicos. Inclusive, quem for assistir o documentário na estreia poderá conversar com alguns dos trabalhadores retratados na telona, que estarão presentes na exibição”. Mais informações: Instagram @olhaaquividalixo .
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos