The New York Times Company

The New York Times Company
Get the best of The Times in your inbox. Our newsletters are free, and you can unsubscribe at any time.

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Endereço: Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quarta-feira, 2 de junho de 2021

"CONCURSO: Claudinei indaga Rogério Gallo sobre concursos para segurança pública de MT"

O parlamentar frisou sobre o cumprimento da Secretaria de Fazenda em atender a porcentagem exigida pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), durante a audiência pública promovida pela Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária, nesta segunda-feira (31), questionou o secretário da Fazenda de Mato Grosso (Sefaz), Rogério Gallo, sobre o lançamento de editais para novos concursos públicos para atender a segurança pública que enfrenta a falta de efetivo, principalmente nos municípios do interior. Na oportunidade, as metas fiscais do primeiro quadrimestre deste ano, apontou um aumento considerável na receita que atende as exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) de Mato Grosso.
“A segurança pública é a minha especialidade. Eu venho visitado, desde o ano passado, todas as regiões do estado de Mato Grosso, envolvendo o interior, 129 municípios. Estive agora, em Santo Antônio do Leste, que passa pelo mesmo problema de outros municípios que é a falta de efetivo nas polícias militar e civil. Parabéns, ao governo do Estado que conseguiu reduzir a porcentagem com despesa de servidores públicos, caindo bem abaixo de 49% exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. E o secretário Gallo disse que a meta, era chegar até o final do ano, em 44%”, frisa o parlamentar.
Falta de Efetivo
Durante a explanação, Claudinei diz que sabe que Gallo participa das discussões sobre o déficit de pessoal na segurança pública junto com os secretários da Secretaria de Segurança Pública e Casa Civil e o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM). “Nós temos concursos que já foram encerrados, pessoal do cadastro de reserva aguardando as nomeações, não tem como não deixar de abrir os concursos públicos. A esperança nossa é que sejam lançados estes editais, pois corre o risco de fechar mais delegacias pela falta de efetivo. O que vai enfraquecer ainda mais a categoria. A gente espera que com este crescimento econômico no estado de Mato Grosso, abaixando este índice exigido pela Lei de Responsabilidade Fiscal para que possa sair estes editais”, posiciona o deputado.
Em resposta, Gallo agradeceu a intervenção do deputado e explicou que há de fato a sensibilidade do governo estadual em relação à necessidade da realização de novos concursos públicos. “Na polícia civil, com a carência grande de profissionais como delegados, escrivães e investigadores. A gente tem conhecimento, é um fator notório. A polícia militar necessita da reposição. A nossa arrecadação permite projetar de fato. Não tenho dúvidas que, em 2022, nós devemos sim, realizar, os concursos públicos. Mas, aqui não posso dizer exatamente para quais áreas e nem a quantidade de vagas”, explica o secretário.
Ele também informou que já ouviu relatos do diretor-geral da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC), Mário Dermeval, que a situação da instituição está bastante precária. “A gente vai fazer essas reposições, elas vão ser feitas. Não tenha dúvida. A gente está trabalhando fortemente no que cabe à Secretaria para que os indicadores fiscais sejam cumpridos e a gente consiga fazer um reforço de efetivo na polícia e outros setores que também apresentam falta de efetivo devido aposentadorias e vacâncias”, ressalvou Rogério.
RGA
Em relação ao pagamento da RGA deste ano, que foi outra indagação feita por Claudinei, o secretário da Fazenda explicou que os valores serão concedidos no próximo ano, devido estar impedido de ser efetuado devido à Lei Complementar de n° 173, de 27 de maio de 2020 que estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento à Covid-19, em que a União repassa um auxílio financeiro aos Estados, Distrito Federal e municípios para mitigar os efeitos financeiros de combate ao novo coronavírus.
“Não é um problema (o pagamento) com governo quanto a isso, muito ao contrário, o que a gente leva em consideração e não poderia deixar, em um país democrático como o nosso, é o respeito às leis. Cumprindo os requisitos que já começamos a cumprir este ano. Não tenho dúvidas que vai ser concedido ano que vem”, conclui Gallo.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos