Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação

Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação
Av. Rui Barbosa, S/N- Jardim Universitrio, Cuiabá - Mato Grosso. As informações de contato se encontram no (65) 99293-3962

Vereador Didimo Rodrigues Vovó

Vereador Didimo Rodrigues Vovó
Trabalhar por uma Cuiabá melhor

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

Senado Federal

Senado Federal
Para saber mais sobre essa unificação, clique aqui.

segunda-feira, 19 de julho de 2021

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA: Estudantes participam de avaliação diagnóstica presencial nas unidades da rede pública municipal

Os resultados vão avaliar o conteúdo aprendido e orientar a reorganização pedagógica do segundo semestre do ano letivo 2021.
Estudantes da rede pública municipal de Cuiabá estão participando de uma avaliação diagnóstica, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, para verificar o nível de aprendizagem e orientar o replanejamento pedagógico, para o segundo semestre deste ano. A avaliação acontece de forma presencial, escalonada, com a autorização dos pais ou responsáveis e adoção de todas as medidas de biossegurança, como distanciamento físico (de 1,5 m), disponibilização de álcool em gel e número restrito de estudantes por sala de aula.
A princípio, somente os estudantes dos 5º e 9º Anos do Ensino Fundamental fariam a avaliação. Isso porque esses estudantes irão participar no período de 8 de novembro a 10 de dezembro, do SAEB - Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2021.
Entretanto, a iniciativa acabou recebendo a adesão de várias unidades, e a participação de estudantes de outros anos do ensino fundamental. A secretária Municipal de Educação, Edilene de Souza Machado falou sobre a importância da realização da avaliação diagnóstica, que não é obrigatória. “As unidades consultaram os pais, que autorizaram a participação das crianças/estudantes. Para a realização da avaliação estão sendo adotadas as medidas de biossegurança previstas no Plano Estratégico de Retorno às Atividades Presenciais da Rede Municipal de Cuiabá, garantindo a segurança dos estudantes e dos profissionais envolvidos e, a partir dos resultados, a Secretaria de Educação e as equipes gestoras das unidades poderão fazer o replanejamento pedagógico para o segundo semestre do ano letivo de 2021, definindo as habilidades a serem trabalhadas com base em dados concretos”, explicou Edilene Machado.
O coordenador de Organização Curricular, Marco Antônio Alves Braga disse que a avaliação diagnóstica vem sendo realizada por algumas unidades desde o mês de junho. “As unidades educacionais são autônomas para decidirem o momento em que vão realizar a avaliação, entretanto, são orientadas e enviam suas propostas para serem homologadas e acompanhadas pela Secretaria de Educação. É de extrema importância a realização do diagnóstico e pensamos em 100% dos estudantes, pois aqueles que não o fizerem presencialmente, poderão receber a prova física. O importante é que tenhamos o maior número possível de participação e, desta forma, realizar novos olhares para o ensino e para a aprendizagem”, disse o coordenador.
Avaliação
A Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Maria Betty de Souza Pires (Irmã Maria Betty), localizada no bairro Novo Mato Grosso, é uma das escolas que realizaram a avaliação este mês. A unidade atende 464 estudantes, matriculados na Educação Infantil - Pré I e II -, e no Ensino Fundamental, do 1º ao 6º Anos.
A diretora Flávia Fernanda Figueiredo de Magalhães e a coordenadora pedagógica, Laura Rosa da Silva Santos, contaram que havia um certo receio por parte dos pais. “Decidimos aguardar que os profissionais tomassem a primeira dose da vacina. Depois de 15 dias, por WhatsApp, encaminhamos aos pais ou responsáveis um formulário de autorização e, as professoras conversaram com eles, explicando como seria feita a avaliação e o quanto ela seria importante para a continuidade do processo ensino aprendizagem”, disse ela.
A diretora disse que a adesão dos pais foi significativa. “Mais de 70% dos pais autorizaram. A cada dia recebemos uma turma, que é dividida em duas salas. Temos o fluxo de uma só turma dentro da escola para não corrermos o risco de aglomeração. Os técnicos e professores trabalham por escala para atender os alunos que chegam às 7 horas e saem às 9h30, depois de fazer a avaliação e um lanche”, explicou Flávia Guimarães.
Em relação as crianças cujas famílias estão em isolamento ou não participaram da avaliação por outro motivo, a escola criou um teste que está disponível no Google Forms e ainda têm a opção de fazer a avaliação no retorno das férias.
A EMEB Irmã Maria Betty espelha bem a situação de grande parte das unidades da rede pública municipal de Cuiabá. De acordo com o monitoramento realizado pela equipe pedagógica, o percentual de participação dos estudantes é de 80 a 90% nas devolutivas das atividades nos grupos de WhatsApp ou impressas. “Sabemos o quanto tem sido difícil para os estudantes, suas famílias e professores. Em relação as atividades remotas estamos trabalhando com as habilidades em atividades voltadas para o que o aluno pode fazer sozinho, sem a intervenção de um adulto. Sabemos que não é a mesma coisa que uma aula presencial, mas o processo ensino aprendizagem existe, há um aproveitamento. Todos os dias os professores postam aulas nas plataformas disponíveis e atendem os estudantes, orientando e tirando dúvidas”, disse a diretora.
Emoção
Para estudantes e professores, a avaliação diagnóstica acabou se tornando um momento muito especial, não só do ponto de vista pedagógico, mas também emocional.
Em um ano e quatro meses foi na prática a primeira vez que os estudantes se encontram com colegas e professores. Foi muita emoção contou a professora dos 5º e 6º Anos, Gizele Ferreira do Nascimento. “Tenho contato diário com meus alunos, mas vê-los na escola foi uma grande emoção, nem consegui dormir direito na noite anterior”, disse ela.
Para Isabelly Victoria Gomes, de 10 anos, aluna da professora Gizele, a emoção foi ainda maior. “Como sou aluna nova não conheço meus colegas de classe pessoalmente, só por vídeo. Estava muito ansiosa”, disse ela. Isabelly contou que acompanha rotineiramente as atividades remotas, interage com a professora, não deixa as atividades se acumularem e achou a avaliação muito boa mas, não vê a hora de estar presencialmente na sala de aula.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos