PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sábado, 21 de agosto de 2021

LINHA DE FRENTE: Projeto Tocando Corações leva música e humanização a pacientes do Hospital Referência à Covid-19

Dois psicólogos e uma fonoaudióloga passam nas alas de internação cantando e tocando instrumentos para pacientes e colegas. Teve início na quarta-feira (18), no Hospital Referência à Covid-19, mais uma ação que garante a humanização, preconizada pelo prefeito Emanuel Pinheiro: trata-se do “Tocando Corações”, um projeto de musicoterapia que leva momentos de leveza e alegria a pacientes e funcionários da unidade. A iniciativa partiu do psicólogo Marden Lima, que atua no hospital fazendo o acolhimento de pacientes e familiares e também nas visitas virtuais. Ele conta que, durante o estágio da faculdade, participou de um projeto de musicoterapia e que ainda guardava o trabalho escrito, que foi apresentado aos colegas que atuam no hospital e, após adaptações, ganhou a adesão da equipe. Além de Marden, fazem parte do Tocando Corações a fonoaudióloga Gisele Reis de Barros e a psicóloga Ângela Campbel, que além de cantar, tocam violão e instrumentos de percussão.
“Quarta-feira foi o primeiro dia e foi ótimo! A música dá uma aliviada. O pessoal fica lá no quarto, não pode sair. O máximo de contato que tem com o familiar é pelo celular e a música acaba despertando. Às vezes nem é o estilo que a pessoa gosta, mas os acordes já dão aquela aliviada. Passamos em todos os quartos de enfermaria, cerca de 10 quartos. Tocamos pelo menos uma música, conversei com o paciente, não deixei de fazer um acolhimento rápido. Eles mesmos filmavam com os celulares deles para mandar pros parentes, cantaram, alguns vieram a lágrimas”, relata o psicólogo.
Além do foco nos pacientes, Marden Lima explica que os profissionais da saúde também são público-alvo do projeto. “O projeto tenta abranger tanto o paciente quanto os profissionais que estão aí no dia a dia tratando os pacientes”. Também há a previsão de levar a musicoterapia para as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do hospital, em um formato adaptado, para contemplar a todos os pacientes da unidade.
Vocalista da banda de rock Heróis de Brinquedo, Marden Lima fala ainda do privilégio de unir o que, pra ele, são “as duas melhores profissões do mundo” e poder, com isso, ajudar a outras pessoas. “A música faz parte da minha vida e eu sempre digo que tenho as duas melhores profissões do mundo, psicólogo e músico. Então, o projeto de musicoterapia foi uma forma de juntar as minhas duas profissões numa só e é bem gratificante! Se o pessoal sabe a letra, eles acompanham, cantam, batem palmas. Eu agradeço a oportunidade de trabalhar num hospital covid porque o pouco que a gente pode fazer, às vezes, é muito para um paciente que está angustiado, com medo iminente da morte. [...] E se o paciente não estiver com o psicológico bom, ele pode se entregar, piorar o quadro. E um auxílio psicológico, um contato com a família, pode motivar o paciente a querer melhorar a sair dessa”, afirma o psicólogo.
Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=yPyWBnsJB60
Assessoria/Caminho Político
Caminho Politico CP Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos