PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

PL 2293/2015: Relatoria de Nelson Barbudo é aprovada em Comissão de Meio Ambiente

Projeto de lei visava a proibição do uso do isopor no Brasil; deputado foi contrário à propositura.
O deputado federal Nelson Barbudo (PSL-MT) teve seu relatório do Projeto de Lei 2293/2015 aprovado durante sessão da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) nesta terça-feira (03.08). De autoria do ex-deputado Goulart (SP), o objetivo da propositura era o de proibir o uso da espuma de poliestireno (isopor) em embalagens de alimentos e copos térmicos em todo o território nacional. Conforme o então parlamentar, o uso do produto causa sérios danos ao meio ambiente, à saúde humana e possui dificuldades para sua reciclagem.
A justificativa de Barbudo, no entanto, vai no sentido de que uma proibição simples e pura do uso do isopor traz insegurança jurídica e não promove a economia circular e o consumo consciente.
“A vilanização e o banimento de materiais plásticos não constituem a medida ideal para resolver os problemas causados pelos modelos ineficientes de gestão de resíduos sólidos no Brasil e suas consequências para a natureza. O isopor é uma matéria-prima reciclável e a melhor forma de lidar com o tema é por meio de uma visão sistêmica e de um diálogo propositivo, claro e objetivo, debatendo o consumo consciente e a economia circular, responsabilizando todos os atores envolvidos: poder público, indústria e sociedade, como prevê a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) (Lei 12.305/2010)”, destacou o parlamentar em sua relatoria.
Outro ponto do mato-grossense é o de que a proposta, caso aprovada, desordene o planejamento financeiro das empresas, causando impacto negativo nos investimentos, na geração de empregos e até mesmo na manutenção da atividade industrial". O parecer de Barbudo foi pela rejeição do projeto e de seus apensados (PLs 3346/15 e 5482/16).
Tramitação - A proposta foi aprovada em 2015, na forma de substitutivo, pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços. Entretanto, decisão da Mesa Diretora da Câmara determinou que a Comissão de Meio Ambiente analisasse a matéria antes da Comissão de Desenvolvimento Econômico. Após análise desta comissão, o projeto também será analisado, em caráter conclusivo, pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos