Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
AV. CASTELO BRANCO, 2500 - CENTRO SUL, VÁRZEA GRANDE

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Crea-MT presente em Webinar que discutiu sobre “implantação de Agências de Águas em Mato Grosso”

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), foi representado terça-feira, 31 de agosto, pela engenheira Agricola e Ambiental Maria Fernanda Canabarro, membro do Comitê da Bacia Hidrográfica dos Afluentes da Margem Direita do Alto Teles Pires na Webinar “Cobrança de Água e Sustentabilidade das Agências de Águas”.
O evento online promovido pelo Fórum Estadual de Comitês de Bacias Hidrográfica de Mato Grosso (FECBH) abordou os aspectos legais desta nova medida e a experiência de outros estados frente ao tema ligado à gestão dos recursos hídricos.
“O evento vem ao encontro dos profissionais do Sistema Confea/Crea. O Conselho tem um papel muito importante nos comitês de bacias hidrográficas por apresentar soluções técnicas e assertivas para as demandas apresentadas. Quando falamos de cobrança de água, e por ser um assunto polêmico, precisamos do embasamento técnico dos engenheiros para respostas e soluções a sociedade”, detalhou Maria Fernanda.
Ainda segundo a engenheira Agricola, a cobrança de água é um dos instrumentos da Política Nacional e Estadual de Recursos Hídricos e deve ser discutido intensamente em todos os setores da sociedade. Isso vai acontecer, mais cedo ou mais tarde, e o Crea-MT tem o papel importantíssimo para orientar todos os profissionais sobre como agirem em cada situação que exija um parecer técnico. Um dos principais assuntos debatidos é o impacto que a cobrança da água causará a todos os profissionais.
Engenheira Agricola e Ambiental Maria Fernanda Canabarro, membro do Comitê da Bacia Hidrográfica dos Afluentes da Margem Direita do Alto Teles Pires
“ Atualmente não pagamos pela água que utilizamos em nossas residências, em obras, indústrias, irrigação, comércio. O que pagamos na verdade, é a distribuição e tratamento da água captada de forma superficial ou subterrânea. Com a implantação da cobrança teremos um impacto, principalmente social, de como tratamos este recuso natural vital. As vezes não damos a importância que a água merece e, e não cuidamos desses recursos como ele merece.
A representante do Crea Mato Grosso, explanou ainda, que os profissionais, como engenheiros sanitaristas, ambientais, florestais, civis, enfim todas as engenharias, agrônomos e geólogos terão que se aperfeiçoarem sobre novas técnicas de consumo consciente, atividades limpas e de baixo impacto hídrico, não apenas para beneficiar seus clientes, mas principalmente para a sustentabilidade ambiental.
Participaram do evento o economista e membro da Coordenação de Sustentabilidade Financeira e Cobrança da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), Marco Antônio Mota Amorim e o engenheiro sanitarista, Analista de Meio Ambiente da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema-MT), Eliel Alves Ferreira.
Confira a webinar completa transmitida pelo Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=dEu-TrjyarU
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos