Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Mixto Esporte Clube

Mixto Esporte Clube
Nas origens do Mixto uma mescla de cultura, tradições regionais e esportes praticados por homens e mulheres.

Prefeitura Municipal de Rondonópolis

Prefeitura Municipal de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Justiça arquiva investigação contra Lula sobre tráfico de influência a favor da OAS

Magistrada declarou que suposto crime prescreveu e que não havia elementos para prosseguir apuração. Léo Pinheiro, da OAS, havia dito que contratou o petista para influenciar governo da Costa Rica. A juíza Maria Carolina Akel Ayoub, da 9ª Vara Federal de São Paulo, determinou nesta segunda-feira (13/09) o trancamento de um inquérito contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que apurava suposto tráfico de influência para favorecer a empreiteira OAS.
O inquérito havia sido aberto com base na delação premiada do ex-presidente da empresa, Léo Pinheiro, no âmbito da Operação Lava Jato, segundo o qual Lula teria sido contratado pela OAS para proferir uma palestra na Costa Rica com o objetivo de influenciar membros do governo do país a fecharem negócios com a empreiteira.
Em sua decisão, Ayoub acompanhou o parecer do Ministério Público Federal, que pediu o arquivamento do inquérito sob o argumento de que o crime de tráfico de influência estaria prescrito, e que havia poucos detalhes apresentados por Pinheiro que permitissem investigar a suposta ocorrência dos crimes de corrupção e tráfico de influência em transação comercial internacional.
A juíza reconheceu a prescrição e declarou extinta a punibilidade de Lula para a acusação de tráfico de influência, e que não havia justa causa para prosseguir a apuração contra outros dois investigados, Paulo Okamoto, diretor do Instituto Lula, e Augusto Cesar Ferreira e Uzeda, que trabalhava na área internacional da OAS.
Em nota, os advogados de Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins, afirmaram que essa foi a 19ª decisão favorável ao ex-presidente na Justiça desde 2016, e que nenhuma pessoa ouvida pela Polícia Federal havia confirmado a versão apresentada por Pinheiro em sua delação premiada. Eles também ressaltaram que, em novo depoimento, Pinheiro negou ter pago qualquer vantagem indevida ao ex-presidente.
bl/av (ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos