PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sexta-feira, 8 de outubro de 2021

Outubro é ROSA!!!

Criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, o Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, o Outubro Rosa é celebrado anualmente, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.
Usando este mês voltado a uma parte da saúde feminina vamos falar também saúde cardiovascular das mulheres . Mas o que o coração tem a ver com o câncer de mama? Câncer de mama, de pulmão, melanomas, leucemia e linfomas, qualquer tumor pode atingir as estruturas cardíacas. Quando o câncer é diagnosticado, o comprometimento do coração pode variar de 1 a 20% pelo câncer.
Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC, mostram que de 63.566 pacientes com câncer de mama, cerca de 15% dos óbitos ocorreram por causas cardiovasculares oito anos após o tratamento oncológico. A morte em decorrência do próprio câncer foi responsável por 15,1% dos óbitos analisados. A mortalidade por causas cardiovasculares é maior nas pacientes que recebem o diagnóstico nos estágios mais avançados da doença e naquelas com mais de 75 anos de idade.
Acontece que o tratamento do câncer de mama envolve diversas terapias que podem afetar o coração. As antraciclinas, por exemplo, estão relacionadas ao desenvolvimento de insuficiência cardíaca, que muitas vezes é irreversível. O maior ensaio clínico brasileiro no cenário de prevenção de cardiotoxicidade por essa droga avaliou 200 pacientes com câncer de mama e observou uma incidência de cardiotoxicidade de 14%.
O trastuzumabe é outro reméutilizado nas pacientes com câncer de mama. O medicamento, que revolucionou o tratamento em pacientes HER2 positivas, o que corresponde a 20% de todos os casos também está associado ao desenvolvimento de insuficiência cardíaca, podendo chegar a 27% de incidência.
A radioterapia e a terapia hormonal estão relacionadas a desenvolvimento de doença arterial coronariana. Em estudo com 2.165 pacientes tratadas com radioterapia, 21,5% desenvolveram doenças cardiovasculares até 7 anos após o início do tratamento.
Portanto o coração tem tudo a ver com o câncer de mama sim.
A única prevenção não só para o câncer, mas também doenças cardiovasculares é a prática de exercícios, de movimentos do corpo no dia a dia, a alimentação e as visitas regulares ao Médico .
Veja aqui algumas dicas:
Mulheres acima de 40 anos devem realizar a mamografia a cada dois anos, principalmente aquelas que já possuem histórico da doença na família.
Evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas visto que em grande quantidade aumenta o risco do câncer de mama, mas também de doenças cardiovasculares.
Coma frutas, cereais, legumes e verduras e feijões em sua alimentação.
Evite o sobrepeso. Mulheres obesas produzem uma quantidade maior de estrogênio, hormônio feminino ligado ao aparecimento de compostos cancerígenos.
Lembre-se dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que as doenças cardiovasculares são responsáveis por 1/3 de todas as mortes de mulheres no mundo, ultrapassando até mesmo o câncer de mama.
Max Lima é médico especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, médico do corpo clínico do hospital israelita Albert Einstein, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso(SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida , Saúde e Diagnóstico. CRMT 6194. Email: maxwlima@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos