Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Seu título está na mão

Seu título está na mão
1º Título de Eleitor Decreto nº 3.029 - 9.1.1881

Assembleia Legislativa de Mato Grosso

Assembleia Legislativa de Mato Grosso
Seja bem-vindo ao perfil oficial da Assembleia Legislativa de Mato Grosso!

sábado, 14 de maio de 2022

Livramento aparece na 18ª posição do IGFM de Mato Grosso

“O município desbanca todos os outros municípios da Baixada Cuiabana, inclusive, Várzea Grande e a capital, Cuiabá”.
O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE/MT), divulgou esta semana os Indicadores de Gestão Fiscal dos Municípios do Estado de Mato Grosso - IGFM. Na tabela dos 141 melhores gestores fiscais que compõem o Estado, Nossa Senhora do Livramento aponta na 18ª colocação, recebendo nota ótima (máxima), à frente de todos os outros municípios da Baixada Cuiabana, inclusive, Várzea Grande e a capital, Cuiabá.
O IGFM é uma ferramenta que permite mensurar a qualidade da gestão pública dos municípios de Mato Grosso, subsidiados pelos dados recebidos por meio do Sistema Auditoria Pública Informatizada de Contas - APLIC. O Indicador foi instituído em 2014, através da Resolução Normativa Nº 29/2014, mas passou a ter a divulgação dos indicadores a partir do exercício de 2011.
Seu objetivo é estimular a cultura da responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação dos recursos.
O Indicador é composto por 6 índices:
IGFM Receita Tributária Própria: referente a capacidade de arrecadação de cada município. Peso: 20% para municípios com RPPS, 22,222% para municípios sem RPPS;
IGFM Despesa com Pessoal: representa quanto os municípios gastam com pagamento de pessoal, medindo o grau de rigidez do orçamento. Peso: 20% para municípios com RPPS, 22,222% para municípios sem RPPS;
IGFM Liquidez: responsável por verificar a relação entre o total de restos a pagar acumulados no ano e os ativos financeiros disponíveis para cobri-los no exercício seguinte. Peso: 20% para municípios com RPPS, 22,222% para municípios sem RPPS;
IGFM Investimentos: acompanha o total de investimentos em relação à receita líquida. Peso: 20% para municípios com RPPS, 22,222% para municípios sem RPPS;
IGFM Custo da Dívida: avalia o comprometimento do orçamento com o pagamento de juros e amortizações de empréstimos contraídos em exercícios anteriores. Peso: 10% para municípios com RPPS, 11,111% para municípios sem RPPS;
IGFM Resultado Orçamentário do RPPS: que avalia o quanto o fundo de previdência do município é superavitário ou deficitário. Peso: 10% para municípios com RPPS, não avaliado em municípios sem RPPS.
Cada município é classificado com conceitos: A (Gestão de Excelência, acima de 0,8001 pontos); B (Boa Gestão, entre 0,6001 e 0,8 pontos); C (Gestão em Dificuldade, entre 0,4001 e 0,6 pontos); e D (Gestão Crítica, inferiores a 0,4 pontos).
Para o secretário de Finanças de Livramento, Otarci Nunes da Rosa, essa pontuação dada pelo TCE é um reflexo de anos de planejamento e trabalho austeros do município, inclusive em outras gestões, e que “milagre a curto prazo na administração pública, ainda mais em gestão fiscal, não acontece da noite para o dia. Tudo é fruto de muito trabalho.”
Otarci lembrou que em anos anteriores Livramento foi até motivo de chacota aparecendo na 134ª posição se comparado aos 141 municípios. “Depois aparecemos em 36ª posição e agora em 18ª, mas a nossa expectativa é que descemos ainda mais para os primeiros lugares”, disse da Rosa otimista.
Ao finalizar, o secretário ainda elencou as ações que vem fazendo o município papa-banana galgar a passos largos. Segundo Otarci, desde 2019 o município não tem dívida ativa; arrecada bem com CFEM (Contribuição Financeira pela Exploração Mineral), e conta com a confiança e o bom trabalho em equipe. “Desempenhamos um bom trabalho em equipe que é totalmente respaldado pelo prefeito Souza e pela Câmara de Vereadores. Claro, a nossa responsabilidade fiscal é monitorada o tempo todo e as vezes contrario a mim mesmo nas atitudes tomadas”, sorriu Otarci.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos