Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

GOVERNO DE MATO GROSSO

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

segunda-feira, 18 de setembro de 2023

Quem pode acusar?

Alguns mestres da Lei e fariseus levaram a Jesus uma mulher que tinha sido apanhada em adultério e a obrigaram a ficar de pé no meio de todos. João 8:3
Você já parou para pensar que ao nosso redor, infelizmente, encontramos mais pessoas apontando o dedo para nós, tentando encontrar falhas sobre nós, inventando mentiras a nosso respeito, do que pessoas dispostas a nos ajudar e/ou apontar alguma qualidade nossa? Os seres humanos são assim, infelizmente. Têm indivíduos que se colocam acima ou no mesmo nível da lei, como se fossem guardiões dela. É muito fácil se colocar na posição de acusador e querer decidir a vida das pessoas. Se até no sistema jurídico brasileiro existe a separação entre o órgão acusador e o poder julgador, por que na vida pessoal deve ser diferente? Existe uma razão para que haja a separação entre essas funções, que é a de preservar a independência técnica e a imparcialidade, para termos a aplicação da justiça corretamente.
No texto da reflexão, nos referimos à história de uma mulher apanhada em adultério, registrada no livro de João capítulo 8.
A audácia daqueles homens era tão grande que o texto cita que eles, ao levarem a mulher, interromperam a aula que estava sendo ministrada por Jesus Cristo: “De madrugada ele voltou ao pátio do Templo, e o povo se reuniu em volta Dele. Jesus estava sentado, ensinando a todos”.
Esses mestres da lei eram tão inconvenientes; eles não respeitavam nem a Jesus Cristo e nem o consideravam como o Messias. Estavam sempre à procura de alguma prova para condená-lo e matá-lo.
Aqui vai uma grande lição para nós a respeito do tipo de pessoa que age de forma sorrateira: nem sempre os que estão próximos a nós ou aqueles que nos confidenciam as suas vidas são pessoas confiáveis. Às vezes, estão mais preocupados em captar informações e levar a mensagem distorcida para os outros, ou seja, manchar a nossa reputação.Observe bem a artimanha daqueles homens que não respeitavam Jesus Cristo; eles queriam acabar com a vida dEle. Eram homens que se achavam especiais ou mais santos do que os demais daquela época; os “observadores e cuidadores da lei”.
Quando as pessoas dizem que estão no mesmo nível ou acima da lei, ocorre o que aconteceu com aqueles homens, que estavam tão cegos e fanáticos que nem respeitaram e muito menos reconheceram o verdadeiro salvador deste mundo.
Geralmente, no caso de quem aprecia acusar, criticar e julgar o outro, é comum que o problema esteja com ele e não com a outra pessoa. Mas, por não conseguir dominar a sua vida, é preferível transferir esse encargo ao próximo. Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo.
Na história, é evidente que a mulher cometeu ato de adultério, que é contrário à lei moral. Na época ela deveria ser condenada. Porém, Jesus mostrou àqueles homens que a mulher não cometeu adultério sozinha e que teve a participação de pelo menos um homem.
Perceba que tínhamos um grupo de homens que queriam apenas acusar e condenar aquela mulher, e, ao mesmo tempo, condenar a Cristo. Ainda bem que o Mestre os chamou para uma reflexão de suas vidas, para entender que o pecado ocorrido tivera a participação de um homem, que também era pecador igualmente à mulher. Na época, a sociedade era extremamente machista.
Além de tudo isso, é impossível não imaginar o constrangimento que aquela mulher sofreu em meio à multidão, diante dos professores da lei, da sociedade de modo geral, de seus conhecidos e dos seus amigos. Ela foi exposta e humilhada.
Jamais devemos ter a mesma atitude daqueles homens. Se há pecado, falhas e a quebra da lei, que o caso seja conduzido de forma sigilosa, discreta e respeitosa por quem cabe julgar.
Que bom é saber que existe um Deus que pode nos dar um novo sentido à vida. Que bom saber que somente Ele pode nos acusar e condenar. Nem mesmo nós devemos nos autocondenar e ter sentimento de culpa, pois isso destrói a nossa paz. Que possamos entregar as nossas vidas nas mãos daquEle que tudo pode e que tudo faz para nos salvar.
Francisney Liberato é Auditor do Tribunal de Contas. Escritor. Palestrante. Professor. Coach e Mentor. Mestre em Educação. Doutor Honoris Causa. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Membro da Academia Mundial de Letras. Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz”, “Singularidade”, “Autocontrole”, “Fenomenal”, “Reinvente sua vida” e “Como passar em concursos – Vol. 1 e 2”, “Como falar em público com excelência”, “Legado”, “Liderança”, “Ansiedade”, “Mude sua vida em 50 dias Premium”, “Inteligência Emocional”, “Manual do Concurseiro”, “Sabedoria”, “Discípulos” e “Educação Financeira”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos