Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

terça-feira, 19 de dezembro de 2023

Gonet toma posse na PGR prometendo ficar longe de "holofote"

Novo procurador-geral da República diz que buscará "equilíbrio" à frente do Ministério Público Federal. Ao discursar no evento, Lula defende que órgão não pode "se submeter a manchetes de jornal".O novo procurador-geral da República, Paulo Gonet, tomou posse nesta segunda-feira (18/12) em Brasília prometendo que sua gestão na chefia do Ministério Público Federal será norteada pelo "equilíbrio" e não buscará "palco nem holofote".
O cargo estava vago desde 27 de setembro, após o término do mandato de Augusto Aras, que havia sido indicado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. Gonet foi indicado em 27 de novembro pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e teve seu nome confirmado pelo Senado na última quarta-feira, para um mandato de dois anos.
"No nosso agir técnico, não buscamos palco nem holofote", afirmou. "Nos limites de nossa atuação, devemos estar atentos, de modo especial, aos que sofrem e que não têm quem os acolha, aos que não acham espaço de proteção na política, nem no interesse jornalístico, nem nos cuidados da sociedade civil."
A referência a equilíbrio e discrição no seu discurso de posse indica uma tentativa de distanciamento de antecessores no cargo, em especial Aras, que teve sua gestão de 2019 a 2023 marcada pelo seguido arquivamento de acusações e denúncias contra Bolsonaro, e Rodrigo Janot, que comandou o Ministério Público de 2013 e 2017 no auge da Operação Lava Jato e de ações midiáticas contra políticos que depois acabaram parcialmente derrubadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
Gonet também defendeu unidade do Ministério Público, apesar de reconhecer a independência funcional de seus membros. "Se todos somos independentes no exercício das nossas funções, formamos também, em virtude do desenho constitucional que nos define, uma unidade", disse.
Lula: "MP não pode se submeter a manchetes de jornal"
Lula, que foi alvo da Operação Lava Jato e ficou preso por 580 dias em Curitiba até ter sua condenação anulada pelo STF, também discursou na posse e defendeu que o Ministério Público "não pode se submeter às manchetes de jornal".
"Um procurador não pode se submeter ao presidente da República, da Câmara e do Senado, mas também não pode se submeter às manchetes de jornal. A única coisa que peço a você é que só tenha uma preocupação: fazer com que a verdade, e somente a verdade, prevaleça sobre os outros interesses. Trabalhe com aquilo que o povo brasileiro espera do Ministério Público", disse Lula.
Lula: "Um procurador não pode se submeter ao presidente da República, da Câmara e do Senado, mas também não pode se submeter às manchetes de jornal"Foto: Evaristo Sa/AFP/Getty Images
"Houve um momento em que as denúncias falavam mais alto que os autos do processo. Quando isso acontece, se negando a política, o que vem depois é sempre pior que a política", afirmou o presidente.
Apoio amplo no Congresso
Gonet era subprocurador-geral desde 2012 e foi vice-procurador-geral eleitoral na gestão de Aras, quando apresentou pedidos de inelegibilidade de Bolsonaro ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Sua escolha por Lula, no entanto, calculada em conjunto com a indicação de Flávio Dino para uma cadeira no STF, correspondeu a uma tentativa do presidente de agradar também congressistas conservadores.
Gonet é católico praticante, tem um perfil considerado conservador e já se manifestou contra o direito ao aborto, contra a criminalização da homofobia pelo STF e contra o reconhecimento da responsabilidade do Estado sobre a morte de opositores do regime militar.
Ele já foi sócio do ministro Gilmar Mendes no Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP) – vendeu sua parte na empresa ao filho do ministro em 2017 – e foi apoiado por ele na articulação para comandar o Ministério Público Federal. Outro ministro do STF que o apoiou foi Alexandre de Moraes.
Cum um arco tão grande de apoios, ele foi aprovado no Senado por 65 votos a 11, com respaldo de senadores da bancada governista e da oposição. Dino, que foi aprovado no mesmo dia para uma cadeira no STF, recebeu 47 votos a favor, 31 contrários e duas abstenções.
bl (ots)Caminho político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96
www.sbcbrasil.com.br
www.geralmt.com.br
www.transmitindo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos