Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

sábado, 2 de dezembro de 2023

Milei dá cargo a ex-extremista que atacou sinagoga

Rodolfo Barra, 75, assumirá a Procuradoria do Tesouro. Ex-ministro da Justiça de Menem, ele renunciou ao cargo em 1996, após juventude de militância em organização nazista entre os anos 1950 e 1960 vir à tona. O presidente eleito da Argentina, o populista de direita Javier Milei, nomeou para o cargo de procurador geral do Tesouro um ex-integrante do Movimiento Nacionalista Tacuara, uma organização facista e nazista associada a atos terroristas e que atuou na Argentina entre o final dos anos 1950 e início dos anos 1960.
Ministro da Justiça de 1993 a 1996 durante o governo do neoliberal Carlos Menem, Rodolfo Barra acabou renunciando ao cargo após a imprensa revelar seu passado de militância na organização ultraconservadora e a participação dele em um ataque a uma sinagoga em 1965.
Na época do escândalo, um veículo argentino resgatou uma foto em que Barra, então com 13 anos, aparece fazendo a saudação nazista ao lado de seus colegas de militância.
Quando a história veio a público, mais de 30 anos depois, Barra se desculpou: "Se fui nazista, me arrependo".
Quem é Rodrigo Barra
Católico e membro da Opus Dei, ele foi uma voz ativa na campanha contra a legalização do aborto na Argentina, aprovada em 2020.
Hoje aos 75 anos e com uma carreira que inclui uma passagem pela Suprema Corte de 1989 a 1993, Barra assumirá a chefia máxima de um órgão semelhante à Advocacia Geral da União no Brasil. Sua função é assessorar o Estado em questões relacionadas ao orçamento público e ao controle de legalidade jurídica das ações do Poder Executivo.
Milei será empossado presidente em 10 de dezembro.
Reações da comunidade judaica
O Foro Argentino contra o Antissemitismo (Faca) protestou contra a nomeação, que chamou de "afronta direta ao espírito democrático e plural do nosso país", e pediu que a escolha seja reavaliada. "Um novo governo não pode começar sua gestão abrigando indivíduos que professaram o antissemitismo ou qualquer forma de expressão de ódio", afirmou a entidade em nota.
Uma das principais entidades judaicas do país, a Delegação de Associações Israelitas Argentinas (Daia) ressaltou em um comunicado que Barra pediu desculpas ainda nos anos 1990 "por suas horrorosas condutas e manifestações de quando era jovem", mas ponderou que "é importante lembrar o que aconteceu", já que o órgão que Barra assumirá "terá como eixo central a luta contra o antissemitismo e a discriminação".
A Argentina, e especialmente sua capital, Buenos Aires, tem a quinta maior comunidade judaica fora de Israel, com entre 300 mil e 400 mil pessoas.
Milei, que se declara católico, já anunciou em diversas ocasiões sua intenção de se converter ao judaísmo.
ra (ots)Caminho político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos